terça-feira, 4 de março de 2014

A IGREJA QUE COBRA DÍZIMO PODE PERTENCER A DEUS? Parte 1




Alguns ministros religiosos, ao aceitarem falsos princípios, afastam-se da realidade do Evangelho e passam a valorizar mais seus dogmas de doutrina do que a própria Palavra de Deus.
E Deus, então, para coibir tal heresia dentro de Sua Igreja, trata de corrigi-los.


Alguns defensores do dízimo têm me feito a seguinte pergunta: “muitas das igrejas que cobram dízimo têm sido reconhecidas pelo Espírito Santo (segundo a Sua operação no seu interior), como igrejas de Deus, juntamente com seus obreiros; poderia, então, uma obra de maneira errada ser praticada por uma Igreja de Deus?

Como você explica isto?”.
Então eu, em resposta a estes, posso afirmar, pela correta interpretação que recebi da parte de Deus (pelo Espírito Santo que me foi dado), que, sem dúvida e isento de hipocrisia, também reconheço que muitas das igrejas que cobram dízimo são igrejas de Deus, e inclusive seus ministros; porém, isto não significa que tais ministros não estejam errando nesta área!

Quando Deus repreende Seus obreiros, é exatamente pelo fato de existir erro dentro de Sua Igreja.
As sete igrejas da Ásia, as quais Jesus enviou cartas através do apóstolo João, também eram igrejas de Deus, e inclusive seus ministros, porém, cinco delas receberam fortes repreensões da parte de Jesus por algumas das suas obras não terem sido achadas corretas diante de Deus.

E as igrejas, cujas cartas continham repreensões da parte de Jesus, foram advertidas para que seus ministros se corrigissem dos seus erros e permanecessem em pé diante de Deus.

Observemos a carta à Igreja de Éfeso:
Apocalipse 2. 1-7
1 Escreve ao anjo da igreja que está em Éfeso: isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, e anda no meio dos sete castiçais de ouro:
2 Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos.
3 E sofreste, e tens paciência, e trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste.
4 Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.
5 Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.
6 Tens, porém, isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.
7 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus.
         É claro que o erro da Igreja de Éfeso não tinha nada a ver com o dízimo; até porque sabiam, de primeira mão, que não deveriam cobrar dízimo; mas, o que podemos observar é que era uma Igreja de Deus e seu ministro também; tanto que todas as suas obras estavam corretas diante de Deus, com exceção de uma.

E foi por esta única obra que não estava agradando a Deus, que Jesus estava tomando providência contra o seu ministro (o anjo da Igreja), para livrar o seu povo de uma queda espiritual.
Quanto ao erro da cobrança do dízimo nas igrejas de hoje, nota-se que nestes últimos tempos Deus tem tomado providências para corrigir seus ministros que praticam essa indevida cobrança.

O DÍZIMO NÃO É UMA COBRANÇA?

Muitos defendem a prática do dízimo no cristianismo, afirmando erroneamente que o dízimo não é uma cobrança (não é um pagamento obrigatório), mas sim uma contribuição voluntária.

Mas isto não é verdade. O dízimo não seria uma cobrança, se não fosse acompanhado de influência espiritualmente legalista; mas esta não é a realidade de sua prática, pois se tratando de dízimo, já é, obviamente, prefixado 10% e cobrado sob o rigor da Lei.

Quem convive no meio evangélico sabe disto. Eu, por exemplo, ao longo dos anos que sirvo a Deus, venho acompanhando a atitude de algumas lideranças religiosas em relação à prática do dízimo, e presenciando constantes pressões que são feitas em relação a essa cobrança, as quais têm, na verdade, avaliada as qualidades espirituais dos seus fiéis pelo pagamento de dízimo.


Ao invés de ensinarem o povo a amar a obra de Deus, ou seja, a contribuir inspirado pelo amor, acham mais fácil e confortável (para si mesmos) ensinarem o povo a ter medo das ordenanças do Antigo Pacto, sob ameaça da maldição da Lei, levando o povo a contribuir para sentir o alívio de um peso obrigatório (para o resgate de uma dívida para com Deus), rejeitando assim o que foi estabelecido pelo Espírito da Graça.

A verdade é que, a maioria das igrejas fecha as portas de seu convívio espiritual para aqueles que não derem no mínimo 10% de suas rendas.
Para confirmação de tudo isto, observe o que nos últimos tempos estão ensinando em relação ao cristão que não pode pagar o dízimo, ou que por fidelidade ao Espírito da Graça não for dizimista:

1º: Está roubando a Deus.

2º: É amaldiçoado.

3º: Não pode estar em comunhão com o povo de Deus.

Diante de tudo isso, muitos ainda têm a coragem de dizer que isto não é uma cobrança. A verdade é que, nas entrelinhas, a mensagem da pregação do dízimo é esta: “Não é obrigatório, mas espontâneo, porque você tem livre escolha: dar o dízimo, ou viver em maldição”.
Conclusão: o dízimo é, com certeza, cobrado pelo rigor da Lei, mas aplicado no cristianismo sob o disfarce de contribuição voluntária. 
A cobrança do dízimo no cristianismo é um jugo que tem causado sofrimento e angústia para muitos cristãos, e até tem impedido que muitas pessoas se integrem à Igreja.

Muitos, ao crerem no Evangelho, não se aliam às igrejas por causa do dízimo, isto é, por não sentirem espiritualidade na sua cobrança; enquanto outros se desintegram das igrejas por não resistirem tal carga nos seus ombros.
Esse jugo tem feito com que muitos cristãos enfraqueçam na fé; pois quando alguém encontra impossibilidade de apurar os 10% do que ganha para poder contribuir em forma de dízimo, o tal é reputado, pelos pregadores de dízimos, como ladrão e amaldiçoado.

Pois ganhando pouco e procurando saldar seus compromissos para manter sua honestidade social e sua integridade espiritual, nem sempre consegue levar aos seus líderes os 10%, mesmo sentindo no coração grande desejo de contribuir.

 Impossibilitado de levar esse valor, deseja levar o que pode, mas é impedido pelo pregador legalista que diz que 10% deve ser o mínimo, e que seria injusto levar menos, apontando para a Ordenança da Lei do Antigo Pacto mencionada em Malaquias 3.8-10, para dizer que o tal é ladrão e amaldiçoado.

Então este cristão acaba não levando nada; e quando vai orar, aquela acusação do pregador soa injustamente nos seus ouvidos: “Você é ladrão e amaldiçoado”, desanimado na fé e julgando-se sem condição de servir a Deus, acaba se desintegrando da Igreja.

Porém, tais pregadores, com certeza, vão prestar contas com Deus pelo prejuízo espiritual que têm causado à vida desses cristãos, pois nesse sentido, o apóstolo Paulo expressamente declara:
Aquele que destruir o templo de Deus que sois vós, Deus o destruirá” (1 Co 3.17).
Portanto, pregadores de dízimos, não destruam por causa do dinheiro aqueles por quem Cristo morreu.
Temos acima um real exemplo do pobre que vive oprimido por não conseguir apurar 10% do seu salário (o dízimo) para cumprir a exigência de seus respectivos líderes.


Pois é natural que a contribuição cristã, ordenada em forma de dízimo, causa opressão aos pobres. E aí, é quando essa indevida cobrança ameaça o cumprimento das profecias de libertação da opressão da Lei, como:
 1º) “Porque tu quebraste o jugo que pesava sobre ele, a vara que lhe feria os ombros e o cetro do seu opressor, como no dia dos midianitas” (Isaias 9.4).
2º) “O Espírito do Senhor Jeová está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos e a abertura de prisão aos presos” (Isaias 61.1).
3º) “Por causa da opressão dos pobres e do gemido dos necessitados, me levantarei agora, diz o Senhor; porei em salvo aquele para quem eles assopram” (Salmos 12.5).
         4º) “mas julgará com justiça os pobres” (Isaias 11.4).
5º) “então, ao Senhor trarão ofertas em justiça” (Malaquias 3.3).

Se os cobradores de dízimos procurassem amar um pouco mais a igreja de Deus, certamente não agiriam com ameaças de maldição, mas abençoariam a igreja ao contribuir com qualquer percentual.

Deixariam de operar pelo Ministério da Letra, chamado também de Ministério da Condenação, e operariam pelo Ministério do Espírito, que dá vida e paz aos que com um coração puro aceitam a Graça de Cristo para remição dos seus pecados, e agora, dentro de suas possibilidades, querem contribuir, levando à obra de Deus com alegria e propósito de coração, o que podem ajuntar, conforme a orientação do apóstolo Paulo:

o que puder ajuntar, conforme sua prosperidade” (1Co 16.2). E ainda:
Porque, se há prontidão de vontade, será aceita segundo o que qualquer tem, e não segundo o que não tem” (2Co 8.12).
Os legalistas do dízimo, que não conhecem totalmente a verdade do Evangelho e a integridade da Graça de Cristo, preferem dizer que aquele que dá menos de 10% é ladrão e amaldiçoado.

Confiam mais no Ministério da Letra do que no Ministério do Espírito.

Mas, veja o que está escrito: “O qual nos fez também capazes de ser ministros de um Novo Testamento, não da letra, mas do Espírito; porque a letra mata e o Espírito vivifica” (2 Co 3.6).

Paz seja com todos!
JC de Araújo Jorge

34 comentários:

  1. PAZ DE CRISTO!!!Amado irmão,ótima mensagem,assino embaixo,que DEUS tenha misericórdia do seu povo que peca por falta de conhecimento,e outros "ministros" Por causa de seus próprios interesses.
    Hosana nas alturas, ao nosso Mestre Senhor e salvador, JESUS CRISTO.Amém...

    ResponderExcluir
  2. Irmão Jorge a graça e a paz do Senhor! O que eu acho mais estranho é que pra combater o dízimo existem tantas bases bíblicas(ao meu ver coerentes) e pra justificar essa cobrança existem tão poucos argumentos. Eu sofro a anos que com essa questão e creio que tenho bloqueado o que Deus tem em minha vida no que se refere ao meu ministério. Minha esposa me fala várias vezes pra dizimar e em meu coração não consigo concordar com isso. Creio se conseguir fazer isso, estarei fazendo por obrigação e não com liberdade, como é difícil essa situação. Esse texto vem como um balsamo na minha alma e entendo que Deus quebrou todo jugo. Abraços!!!

    ResponderExcluir
  3. concordo plenamente,mas, onde congregar então??? só conheço igrejas que pregam um evanvelho misto (velha e nova aliança). alguem conhece alguma igreja da nova aliança na região do ABC.

    GRATO!

    PAZ SEJA COM TODOS...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Anônimo, fico contente que o irmão tenha entendido a verdade sobre o dízimo no tempo da Graça.

      Quanto a querer saber qual a igreja genuinamente primitiva, é possível que não a encontre, até porque, NÓS somos a IGREJA; se tivermos em Cristo, dirigidos pelo Espírito Santo no entendimento dos escritos do Novo Testamento.

      "ONDE CONGREGAR ENTÃO?"
      Congregue aonde o irmão sentir-se melhor, não mais dizimando, todavia ofertando segundo orientação do Apóstolo Paulo, isto é, não induzido por líder evangélico ou quem quer que seja, mas contribuindo voluntariamente, como oferta de justiça. (II Coríntios 9. 7).

      Quanto ao alimentar-se da Palavra durante o culto, ouça de tudo, mas retenha somente o que é bom. (I Tessalonicenses 5. 21).
      Não limite-se somente a palavra da congregação, mas alimente-se dos Evangelhos, principalmente das Cartas dirigidas à Igreja, que somos nós, membros do Corpo, onde Cristo é o legítimo Cabeça.

      Um abraço do Discípulo,
      J.C.de Araújo Jorge

      Excluir
  4. Vim agradecer e retribuir sua visita...
    Parabéns pelo blog e sucesso sempre... Já estou seguindo...
    Abraço e tenha uma semana abençoada de alegrias, saúde e paz...

    http://www.educacaoinfantilnaescola.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. A igreja não precisa cobrar dízimos, o cristão sabe da sua responsabilidade de dar os dízimos á igreja, cristão que é cristão tem que pagar o seu dízimo, Dicípulo de Cristo vim a convite de sua irmã Lucy, gostei muito do seu blog, um blog abençoado por Deus, já estou te seguino, te convido para visitar o meus blogs de variedades, se quiser visitar clique em:
    http://www.lucimarestreladamanha.blogspot.com
    http://www.lucimarvirtual.blogspot.com
    Fique com Deus, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmã Lucimar,
      Paz Seja Contigo

      Devemos nos avaliar interiormente para não cairmos na tentação de estarmos bem intencionados no envolvimento da obra cristã, e mesmo assim nos encontrarmos sinceramente enganados pela sombra da lei do Velho Testamento. Porquanto, o Senhor Jesus cumpriu toda a lei na cruz do Calvário, juntamente com a condenação que nos era proposta; assim como a lei levítica de dízimos, a qual foi substituída pela lei do amor, através de ofertas de justiça.

      Portanto, quando a irmã afirma:

      "Cristão que é cristão tem que pagar dízimos", equivoca-se por falta de conhecimento das Boas Novas do Evangelho de Cristo; posto que, o verdadeiro cristão deveria entender que não somos judeus, mas gentios alcançados pela graça de Deus, orientados e discipulados pelo Apóstolo Paulo, o qual afirma que devemos contribuir segundo propósito do nosso coração, e não por mandamentos carnais da Antiga Aliança. E quando insistimos com esse legalismo veterotestamentário para a Igreja neotestamentária, trazemos prejuízos ao Corpo de Cristo, pois é notório que esta pseudo estabilidade conquistada por este imposto compulsório (dízimo), tem até proporcionado estrutura financeira na maioria das denominações; contudo, espiritualmente a membresia se empobrecem a cada dia por falta de um pastoreio espiritual, por parte de muitos líderes, que ao dedicar-se aos eventos gospel para atrair mais dizimistas, limitando-se a uma ou duas palestras semanais, em detrimento dos necessitados de curas, libertações, orações, acompanhamentos e etc...

      Isto é, independentemente do retorno financeiro que alguns necessitados possam retribuir ao líder da denominação, é necessário que haja um pastoreio genuinamente espiritual nos moldes da Igreja Cristã Primitiva.

      PORTANTO:

      Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. II Cor. 9. 7

      PARA MEDITAR: Mateus 25. 41-46

      Discípulo de Cristo,
      J.C. de Araújo Jorge

      Excluir
  6. Meu irmão em Cristo Jesus, adorei o teu blog, principalmente porque fala a verdade. Admiro tua coragem e teu conhecimento. Visite o nosso blog:
    www.aigrejasubira@blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Tornei-me seguidor deste blog e louvo a Deus por Ele está levantando homens de Deus ousados em relação a verdade. Fui "dizimista" por 25 anos (ou pelo menos achei que era), e no mês que atrasei o pagamento, fui taxado de ladrão sem misericórdia. Isto me serviu para refletir sobre o assunto e depois que conheci a verdade sobre o dizimo, parei com essa obrigação.

    Resultado: Para a liderança eu apostatei da fé, sou um herege e os dirigentes de congregações foram advertidos para não me darem oportunidades. Estou em observação pela liderança e já fui ameaçado de disciplina pelo ministério. Pedi meu afastamento e hoje sou uma "pedra de tropeço", mas não abandonei a igreja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IRMÃO REGINALDO,ISSO TAMBÉM COM A GENTE DEPOIS DE 30 ANOS DIZIMANDO UM DIA PAREI DE DIZIMAR E FOMOS TAXADOS E REBELDES,TRANSGRESSORES E ETC... MAS ATÉ AQUI O SENHOR NÓS AJUDOU E DEUS CONTINUA DERRAMANDO DAS SUAS MISERICORDIAS SOBRE AS NOSSAS VIDAS E CONTINUAMOS A SERMOS ABENÇOADOS DE MANEIRA GRANDIOSA.ESSA HISTORIA DE DIZIMISTA É TUDO BALELA E UMA FORMA DE ENREQUECIMENTO PROFUNDO PRA LIDERANÇA,TUDO NÃO PASSA DE UMA GRANDE MENTIRA DO DIABO QUE ELES INVENTARAM PRA TIRAR DINHEIRO DOS FIÉIS.UMA QUE DÍZMO SEGUNDO A B´BLIA NUNCA FOI DINHEIRO, E SIM FRUTOS DA TERRA,ALIMENTOS E ETC... PRA SUPRIR A NECESSIDADE DOS ORFÃOS,VIÚVAS E OS ESTRANGEIROS E NECESSITADOS E OS SACERDOTES ESTAVAM DESVIANDO ESSES MANTIMENTOS DA CASA DO SENHOR.DEUS TEM UM GRANDE AMOR PELOS NECESSITADOS QUE INSTRUIU OS DÍZIMOS,E ESTÁ NO PLURAL E NÃO NO SINGULAR DÍZIMO. COMO ELES PREGAM.

      Excluir
  8. Amado irmão,estes comentários sobre os dízimos nos dias atuais me ajudou muito,pois agora entendo que podemos dar dízimos,se for de boa vontade,mas não por força humana,eu congrego em uma igreja que o Pastor Presidente,já falou até em exclusão ou levantamento de santa céia aos irmãos que não dizimarem, e se estes forem pastores ou obreiros,poderam até perderem seus ministérios,por não darem o dízimo,atualmente estou contribuindo na voluntariedade,e não estou aceitando imposições humanas sem fundamentos bíblicos,pois vivo na graça e pela graça,fica com a paz de Cristo,foi de muita valia este artigo!

    ResponderExcluir
  9. MEU QUERIDO IRMÃO, PARA SE PREGAR QUE O DÍZIMO É DA ÉPOCA DA LEI, PRECISA-SE DISCERNIR O QUE É DA LEI, O QUE É ANTES DA LEI E O QUE É DEPOIS DA LEI. O DÍZIMO NÃO FOI INSTITUIDO PELA LEI. ABRAÃO DIZIMOU ANTES DA LEI. O DÍZIMO EXISTE ANTES MESMO DA LEI. COMO VOCÊ QUER DIZER QUE O DÍZIMO DEVE SER RELEGADO POR SER DA LEI??? É UMA PENA QUE VOCÊ TENHA UMA IDÉIA COMO ESTA E AINDA FICA INFLUENCIANDO OUTRAS PESSOAS. SEJA CORAJOSO E NÃO EXCLUA MEU COMENTÁRIO, POIS MUITOS POR FALTA DE BASE BÍBLICA SÓ ACEITAM OPINIÕES DAQUELES QUE SÃO FAVORÁVEIS ÀS SUAS IDÉIAS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IRMÃO LÁZARO, ANTES DE RESPONDER AO SEU COMENTÁRIO, PASSAREI A RELATAR UMA "HISTORINHA" BASTANTE SÉRIA E INSTRUTIVA:

      O dogma do "dízimo", foi introduzido à aproximadamente a XIV séculos pelos ditos "pais da igreja" e o mesmo (dízimo) tem trazido grandes prejuízos ao pastoreio espiritual da Igreja de Cristo.

      A manutenção da igreja não deveria estar baseada numa mentira que insiste em prevalecer, e sim nas OFERTAS DE JUSTIÇA; não proposta pelos homens (líderes) que manipulam seu próprio rebanho com ameaças de DEVORADORES (diabo) e até mesmo de perderem a SALVAÇÃO por não se cumprir Malaquias 3. 10.

      Ou seja, é considerado ladrão todo aquele que não "paga" ou "devolve" no mínimo 10% dos seus salários, dando a esses líderes certa estabilidade financeira e controle emocional da membresia, em detrimento de um pastoreio espiritual.

      Quanto a sobrevivência da Igreja, não precisa de nenhum "imposto compulsório" da Lei Levítica (Dízimo); posto que os líderes deverão viver pela fé na espiritualidade da sua igreja no tocante a contribuições voluntárias, mediante Ofertas de Justiça; como era costume na Igreja Primitiva.

      Pois quem muito é pastoreado em amor, muito mais será liberal para retribuir com alegria; abençoando em justiça, misericórdia e fé.

      PORTANTO:
      CADA UM CONTRIBUA SEGUNDO TIVER PROPOSTO NO CORAÇÃO, NÃO POR TRISTEZA OU POR NECESSIDADE; PORQUE DEUS AMA A QUEM DÁ COM ALEGRIA.
      II CORÍNTIOS 9. 7


      QUANTO AO SEU QUESTIONAMENTO QUE O DÍZIMO ERA ANTES, DURANTE E DEPOIS DA LEI, PERCEBE-SE QUE O IRMÃO NÃO LEU O ESTUDO NA ÍNTEGRA, POIS TODOS ESSES TÓPICOS SÃO ABORDADOS DE FORMA BÍBLICA, ONDE TODA REFUTAÇÃO PARA DEFESA DESTE IMPOSTO COMPULSÓRIO (Dízimo) É COMBATIDA DE UMA VEZ POR TODAS E RESPALDADA PELA BOAS NOVAS DO EVANGELHO DE CRISTO.

      A PRINCÍPIO ANALISO TRÊS RAZÕES DA IGREJA NEOTESTAMENTÁRIA NÃO QUERER ENTENDER A VERDADE SOBRE O DÍZIMO:

      1- Esse imposto religioso dá estabilidade financeira a igreja, a qual se enriquece como denominação, contudo, sem nenhum tipo de promoção social, nem mesmo em favor de seus membros. Cobra-se tudo, nada é de graça para que os dirigentes de denominação amontoem riquezas; todavia, essas mesmas lideranças se empobrecem espiritualmente, e por conseguinte o amor deles ao dinheiro fazem-no destituídos de unção, comprometendo de alguma forma o fortalecimento do rebanho a eles confiado.

      2- Existem pessoas que acham conveniente dizimar a ter que santificar-se e amar o seu próximo; e dessa forma, aliviam suas consciências, como se pudessem comprar a salvação à prestação.

      3- E por último, os irmão mais simples são coagidos por seus "pastores" com base na sombra da Lei do velho testamento. Pois, alguns deles afirmam que, se a membresia não contribuir com no mínimo 10%, será considerado ladrão e réu de condenação eterna.

      P.S. Sinceramente não sei se o irmão se identifica em algum dos quadros acima; todavia, sugiro que antes de qualquer pré julgamento ao tema abordado e a minha PESSOA, leia atentamente o ESTUDO SISTEMÁTICO E EXAUSTIVO sobre o DÍZIMO; e assim sendo, possa retornar a este espaço para opinar, não por partidarismo religioso ou conveniência própria, mas como quem deseja saber da VERDADE QUE LIBERTA!

      PORQUE NADA PODEMOS CONTRA A VERDADE, SENÃO EM FAVOR DA PRÓPRIA VERDADE.
      II Coríntios 13. 8

      Paz Seja Contigo,
      J.C.de Araújo Jorge

      Excluir
    2. Caro Lázaro,

      Permita-me entrar no mérito da questão e expor o que realmente a Bíblia ensina sobre o dízimo. Primeiramente quero salientar o que me levou a ser contra o ensino da prática do dízimo.

      Por 25 anos eu achei que era um "dizimista fiel" e defendí essa doutrina com unhas e dentes. Como dirigente de congregação e educador de Escola Dominical procurei ensinar aqueles que estavam sob minha responsabilidade a dar ou devolver o que achava ser de Deus, no caso, os 10% da renda a que chamam dízimo. A justificativa que o tal era para ser usado na "obra do Senhor", mas, todas as vezes que se precisava de dinheiro para alguma coisa, como pagamento de luz, compra de material de higiene, equipamento de som e até ajuda para um irmão necessitado, era preciso acionar a igreja a fazer uma contribuição extra, pois do dízimo que fidedignamente era entregue não saia nada. Comecei a questionar sobre isso e resultado: ESTOU FORA DA IGREJA depois de ter contribuido fidedignamente por 25 anos, sendo hoje considerado apóstata, herege e anticristo por não aceitar esse abuso, o qual classifico de estelionato nas igrejas.

      Quanto ao fato de o dízimo ser estabelecido antes da lei, quero lembrá-lo que a guarda do SÁBADO e a CIRCUNCISÃO também o foram e, ao contrário do dízimo, estes foram ordenanças de Deus, mas, creio que você não guarda o sábado e muito menos é circuncidado, assim como eu não. E porque não aceitamos essas regras também para nós? Simples! Não somos judeus e sim gentios. E, como gentios e salvos pela graça de Nosso Senhor Jesus Cristo estamos isentos de toda ordenança do antigo pacto que Deus estabeleceu exclusivamente com os judeus e isso inclui o dízimo, o qual convém salientar, pois muitos não falam sobre isso: O DIZIMO nunca foi DINHEIRO como é cobrado hoje (Deut. 14:22-29). Observe que os religiosos do tempo de Jesus davam dízimos da HORTELÃ, ENDRO, COMINHO, ARRUDA (Mt 23:23), mas não é especificado dinheiro em nenhuma parte da Bíblia.

      Eu fui liberto desse fardo pela Palavra e desejo o mesmo a todos aqueles que ainda são reféns dessa situação (João 8:32).

      Tem mais no meu blog:
      http://www.crentefeliz.blogspot.com.br/

      Excluir
    3. Caro Lazaro
      Antes da lei de Moises, Abraao entregou dizimo nao a Deus, mas sim ao rei Melquisedeque.
      Em segundo ele nao entregou de nada que era dele, mas sim dos despojos de uma batalha que ele travou para libertar seu sobrinho Ló.
      Muitos ensinam essa passagem para reforçar a legalizaçao do dizimo antes da lei, entao me diga, vc consideraria algum nao cristao como teu inimigo, mataria, tomaria todos seus bens, retirava daí o dizimo e entregaria para Deus???

      Jacó quando fez um voto com Deus, ele fez por iniciativa propria, nao por algum mandamento, se observar bem a palavra, o voto que ele fez seria pago caso Deus o abencoasse primeiro.

      E mais, os dois patriarcas entregaram seus dizimos apenas uma vez, na biblia nao ha alguma outra passagem que eles entregaram mais de uma vez, nem deixaram alguma ordenança para que seus filhos segussem seus exemplos.

      Respondido???

      Excluir
  10. Ola, senhor. J. C de Araujo Jorge, gostei imensamente de seu comentário eu também convivi com um evangelho misturado com lei e graça, mas hoje eu tenho um outro intendimento, porque ouvi muitos ensinamentos participei de muitos estudos bíblicos sobre dízimos e ofertas, mais nao com tanta clareza como o senhor tem comentado e explicado corretamente, isso e bom demais sabe porque quando se tira o veu e que ainda esta posto na face de muitos cristãos atuais ai sim da para se ver bem e intender a graça do verdadeiro evangelho, parabéns gostei muito,bem comentado, nao somos judeus, para seguir a lei, mas somos gentios para seguir o evangelho da graça e de graça sem nenhum custo adicional, me desculpe pelo atrevimento, de entrar no seu BLOG.

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pelo blog. Fui convidado para visitá-lo e gostei do conteúdo. Convido-o a visitar o meu: www.discipulosdecristoprromildo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo blog. A sua coragem, ousadia e intrepidez são dons que vem do alto. Jesus não é mesmo um fiscal contabilista. Eu penso até que as denominações iriam arrecadar mais, se fossem comprometidas com a verdade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amado irmão, gostaria que deixasse o link para que pudesse retribuir sua visita e comentário.

      Paz Seja Contigo,
      J.C.de Araujo Jorge

      Excluir
  13. me entristeceu muito quando vi um Pr.lider de uma denominação deturpando as Escrituras, tentando justificar o dizimo no N.T, tentando se alicerçar em Mt 23.23, pude ver o sinismo daquele lider, duvido que pra ele mesmo possa assimilar do jeito que falou contra o Reitor da universidade do .R.J
    ´´ até que ponto chega a ganância``

    ResponderExcluir
  14. Caro discípulo de Cristo,

    A paz amado!

    Excelente matéria e proposta.


    Quantos verdadeiros líderes sobreviveriam da fé? Claro que muitos poucos.

    A aplicação ditatorial, elimina a Graça e o dar voluntariamente, conforme a Simplicidade do Evangelho.

    É triste eliminarem a simples proposta de Cristo por suas intere$$antes convicções.

    Mudanças ocorrerão na perseguição à caminho.

    Serão eagados os líderes da falsa e mentirosa prosperidade. Falta pouco!

    O Senhor seja contigo,

    O menor dos teus irmãos.

    ResponderExcluir
  15. Un blog che tratta argomenti profondi .....
    Buona vita!

    ResponderExcluir
  16. Olá Multiplicador(a), Feliz 2013 de muitas coisas boas pra você e sua família!

    Nossa postagem mais recente trás um resumo de 2012, citando os TOP10: quem mais enviou visitas; as postagens mais visualizadas e quem mais comentou no E.M.. E ainda algumas informações úteis à parceria. Não deixe de ler, é muito importante!

    http://www.educadoresmultiplicadores.com.br/2013/01/em-2013-os-educadores-escrevem-historia.html

    Em 2013 teremos boas novidades para os Educadores Multiplicadores. Mas para que elas aconteçam verdadeiramente sua participação é fundamental.

    Já somos mais de 100 Multiplicadores e vai continuar aumentando de maneira saudável. Pensando nesse crescimento e agilidade na comunicação entre o E.M. e os parceiros, estamos solicitando que entre em contato conosco pela aba de contatos do E.M. ou do Marquecomx e nos envie:

    E-mail, nome de seu blog cadastrado e link do mesmo.

    Com isto iremos criar uma lista de e-mails e blogs (não iremos publicar sue e-mail no blog, de forma alguma). Servirá exclusivamente para facilitar/agilizar e muito a nossa comunicação, sobrando tempo para as atualizações no E.M. necessárias pra dinamizar a interação entre todos.

    Fico grato pela colaboração e compreensão. Muito obrigado,

    Irivan Rodrigues.

    ResponderExcluir
  17. Muy hermoso blog! Te invito a visitar el mio, frases sobre Dios :-) Besos y feliz año!!

    http://frasesdedios.blogspot.com.es/

    ResponderExcluir
  18. Graça e paz, amado irmão!

    Este é um assunto que acirra ânimos já de longa data.
    Em nome dos cifrões são deturpados os textos sagrados tendo em vista a manutenção de faustos e luxos em detrimento da verdade. Nunca a igreja foi tão tentada a seguir tais erros como em nossos dias. O deus capitalista "mamon" lança suas teias de iniquidade e aprisiona ao materialismo os indivíduos ávidos em tornarem-se ricos. Para tal intento violam a boa exegese e anulam as regras hermenêuticas sem qualquer cerimônia. Para que falar o que é certo se o erro concede mais dividendos e a mentira mais lucros?

    Não é de hoje, vem se perpetuando no meio cristão um estratagema maligno que tem como principal escopo
    espoliar as massas em nome da fé usando expedientes enganosos eivados de sofisma e táticas de ludibrio, se valendo da ingenuidade religiosa do povo para, com efeito, estimular-lhes o ato de doar e, desta forma, ampliarem suas contas bancárias.

    ResponderExcluir
  19. Oi amigo, vim conhecer o seu blog e adorei. Eu já estava seguindo.
    Se você quiser conhecer o meu e seguir fique à vontade;
    http://www.arionetorres.blogspot.com.br/
    Um abraço e fica com Deus.

    ResponderExcluir
  20. Paz irmãos,

    Vocês já pensaram em montar um grupo (denominação) de irmãos que tem esse mesmo pensamento em relação às doutrinas da lei?

    É muito dificil encontrar uma igreja que não ensine sobre pagamento de dizimos, até hoje não encontrei nenhuma.

    At.

    Rafael Cruz +++

    ResponderExcluir
  21. A igreja não cobra apenas o dizimo, mas cobra pra batizar e casar pessoas. Deus realmente vai receber o dinheiro ou sera que o Vaticano vai comprar mais ouro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Anônimo,

      A "igreja" mencionada em seu comentário que as vezes cobra dízimo, já vendeu até salvação (indulgências), mas para essa antiga noiva de Roma e atual "igreja" católica, não faz nenhuma diferença enriquecer o Vaticano ou cometer outras aberrações, pois a mesma caminha a passos largos para o abismo. Entretanto, os erros e atrocidades de uma prostituta católica, não justifica a introdução da heresia do dízimo na igreja neotestamentária, pois esta foi comprada pelo precioso sangue do Senhor Jesus, para tornar-se em Noiva santa, pura e imaculada.

      Paz Seja contigo,
      J.C.de Araújo Jorge

      Excluir
  22. Oi amigo,
    Eu creio que todas as religiões, todas as crenças, sejam validas, desde quando mostrem o caminho até o Pai.
    Mas está difícil acreditar nas que cobram, seja lá a que título for, para que as pessoas possam frequentar.
    Também não acredito nas que ensinam uma coisa, e praticam outras.
    Creio que o exemplo é o melhor meio de se arrebanhar pessoas e infelizmente está se tornando difícil, se ver, equilíbrio, entre o discurso e o comportamento.
    Belo post!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga,
      Vejo sinceridade em suas palavras e até concordo que a prática religiosa tem sido cada vez mais falha e contraditória; contudo existe um grande engano na sua afirmativa, que:
      " todas as religiões, todas as crenças, sejam validas, desde quando mostrem o caminho até o Pai."

      Muito pelo contrário, todas as crenças e religiões que não aceitam a morte de Cristo em substituição aos nossos pecados originais herdados por Adão; sendo esse sacrifício, a única forma de Deus nos livrar da condenação eterna no Dia do juízo final, posto que o próprio Jesus afirma:

      Eu sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida.
      Ninguém vem ao Pai, senão por mim!

      Concluímos que, as religiões podem estar socialmente corretas, porém não tem poder para salvação; quando muito para promover entretenimento e também ilusão.

      PENSE NISSO AMIGA, ENQUANTO HÁ TEMPO!

      Paz Seja Contigo,
      JC de Araújo Jorge

      Excluir
  23. Uma maneira lógica de se combater o dízimo como obrigação para os cristãos é verificar que o apóstolo Paulo que foi eminentemente o apóstolo dos gentios ( que não conheciam a prática do dízimo) nunca ensinou esta prática em suas cartas. Ele o faria , sem nenhuma sombra de dúvida, caso fosse uma exigência de Jesus Cristo para a Sua Igreja.

    ResponderExcluir

As refutações serão devidamente respondidas!
Não serão publicados comentários com os seguintes conteúdos:
- Palavrões;
- Ofensas;
Paz Seja Contigo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...