sexta-feira, 3 de outubro de 2014

DÍZIMO NA GRAÇA: Equívoco que insiste em prevalecer



INTRODUÇÃO

No mês  de Novembro de 2011, este blog completou um ano de atividade com temas pertinentes a prática do cristianismo e outras mensagens consideradas polêmicas por alguns leitores.

De minha parte, tenho me esforçado no ministério da Palavra
 para que a transmissão do entendimento dos Escritos Sagrados sejam o mais fidedigno possível e que possam abençoar a tantos quantos tem fome e sede de justiça, principalmente os que amam a Cristo e querem cumprir os seus mandamentos (João 14. 21).

Provavelmente o tema desta postagem venha a ser o mais polêmico e ao mesmo tempo o mais esclarecedor de todos que os leitores deste blog tiveram oportunidade de participar, pois será um divisor de águas, no sentido de se entender de uma vez por todas a falta de base bíblica neotestamentária para introdução de dízimos na maioria das igrejas evangélicas; posto que, essa forma de arrecadação teve validade somente na antiga aliança, quando na observância e condução da Lei mosaica  ao povo judeu pelos levitas e sacerdotes que serviam no templo.


MINHA   EXPERIÊNCIA

Nos primeiros anos de minha caminhada cristã, observando a atitude de alguns pastores quando ministravam a necessidade de ofertas por parte da congregação, os quais citavam o capítulo 3 do Profeta Malaquias para pressionar a cobrança de dízimos,  e também analisando o comportamento de alguns cristãos na prática de "pagar dízimos",  os quais pareciam comprar sua salvação por meio de prestações que correspondesse a 10% de seus salários. Fazendo desse comportamento  uma espécie de "cala boca" em Deus, pois a partir desses pagamentos mensais e infindáveis, não precisariam preocupar-se tanto com o amor ao próximo, nem tão pouco com a verdadeira santificação, mas somente com suas aparências exteriores e ensinamentos religiosos de homens.

Outros irmãos, de uma linha evangélica menos farisaica, faziam uso da seguinte expressão:
"Temos  que devolver os 10% de Deus, pois do contrário seremos considerados ladrões e consequentemente perderemos nossa salvação se morrermos nesta condição".
Caso a morte não ocorresse na vida dos cristãos "inadimplentes", os mesmos estariam debaixo da maldição da lei, ou seja, ficariam a mercê dos devoradores de Malaquias 3. 8-11, conforme pronunciamento de pastores radicais e defensores de dízimos veterotestamentário.

A partir de então, passei a estudar o Novo Testamento por completo e minuciosamente; visto que, aquela forma de provocar terror em alguns cristãos e promover farisaísmo em outros, era no mínimo estranha e não compatível com o Evangelho da Graça. Sem contar com o absurdo de se colocar pessoas para exercerem funções de lideranças no Corpo de Cristo pelo simples fato de terem salários mais altos e outros irmãos com menores salários, serem excluídos do rol de obreiros, mesmo com chamado eclesiástico ou até ministerial; isto, por uma questão meramente financeira ou quando não, por fazer parte da parentela da liderança eclesiástica.

Confesso que, mesmo não encontrando em todo Novo Testamento respaldo bíblico para o dízimo, guardei esse entendimento no coração por alguns anos; pois na época, se isso viesse a tona seria considerado um sacrilégio à igreja e digno de maldição por parte do clero evangélico; o que me fez ponderar e continuar dizimando por mais algum tempo, mesmo sem concordar com o dito terrorismo já relatado acima. E assim ponderei, contornando aquela situação com a seguinte conclusão para aquela época:
A igreja precisaria de recursos, mesmo que fosse fazendo uso da antiga aliança; e se, o uso dos referidos dízimos não fizessem bem a igreja, mal também não poderiam fazer.

Mas, para a minha decepção aquela base de arrecadação por "imposto compulsório" (dízimo) estava alicerçado sobre uma mentira, consciente ou inconscientemente, o qual levou alguns líderes de denominações a acumularem riquezas, conforme tema já postado anteriormente em:

Não obstante, algumas igrejas terem enriquecido financeiramente, espiritualmente se empobrecem a cada dia; e é por isso, que a "verdade e as mentiras" sobre esse tema (dízimo) tem grande relevância nos últimos dias da Igreja de Cristo. Portanto, exorto em amor a todos os pastores de igrejas que amam suas ovelhas e querem ser fiéis as verdades do
Evangelho de Cristo, que retornem ao primeiro Amor, como por exemplo:
Ensinem à igreja a praticar ofertas voluntárias, como se fazia na igreja primitiva, conforme doutrinamento do Apóstolo Paulo a toda Igreja gentílica.

CADA UM CONTRIBUA SEGUNDO TIVER PROPOSTO NO CORAÇÃO, NÃO COM TRISTEZA OU POR NECESSIDADE; PORQUE DEUS AMA A QUEM DÁ COM ALEGRIA
2ª Coríntios  9. 7

Se pelo menos uma vida for liberta dessa heresia que aprisiona mentes e corações, provavelmente introduzida pelos ditos "pais da igreja"
na antiga noiva de Roma e que passou despercebidos
pelos chamados "reformadores", já terá valido a pena a
existência deste espaço.

Mas, caso existam Sete Mil que não se dobraram  a Baal
e que também não querem servir a Mamom
para adorar as riquezas, posso afirmar que a
glória da segunda casa será maior do que a primeira
 e que este blog permanecerá até o
Dia do Arrebatamento.

Segue-se o mais completo estudo sobre a verdadeira  forma de
contribuição financeira para a igreja do Novo Testamento.

Paz seja com todos!
JC de Araújo Jorge

47 comentários:

  1. A QUESTÃO DO DÍZIMO
    Amado discípulo de Cristo, paz do Senhor Jesus!
    Li a sua postagem e quero agradecer a Deus pela sua vida!
    Também tenho alguns posicionamentos opostos em relação à cobrança de dízimos no Novo Testamento, porém não o vejo inteiramente como anticíclico. Por quê?
    1. O Dízimo não é algo restrito a Aliança da Lei (chamada de aliança Mosaica ou do Sinai), pois que, mesmo antes da Lei já existia a ideia de entregar o dízimo (10%) a Deus, senão vejamos:
    Gênesis 14.20 - e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus adversários nas tuas mãos. E de tudo lhe deu Abrão o dízimo.
    OBS: Observe que a entrega do dízimo por Abraão ocorreu bem antes da Instituição da Lei Mosaica. Logo entendemos que o Dízimo não é e nunca foi algo restrito à Lei.
    Vejamos outro exemplo: Gênesis 28.22 - e a pedra, que erigi por coluna, será a Casa de Deus; e, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo.
    OBS: Jacó viveu bem antes da Lei.
    Nestas passagens nós encontramos a prática do dízimo antes da Lei, como explicar essas passagens se ligarmos o fim do dízimo ao fim da Lei.
    No Novo Testamento (Já na dispensação da graça) Paulo diz que: Romanos 10.4 - Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê.
    Mesmo assim com o fim da observância judaica da Lei de Moises, o Senhor Jesus não condena a prática do Dízimo, ele condena sim, o ato de dizimar e deixar de observar as demais coisas também importantes da Lei, senão vejamos:
    Mateus 23.23- Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas.
    Bem, talvez eu esteja errado, mas não vejo nenhuma proibição de Jesus em relação do dízimo nesta passagem.
    A menos que a minha hermenêutica esteja completamente errada, não vejo problema na Igreja ter herdado a prática do Dízimo, costume esse praticado antes, durante e depois da Lei.
    Agora discordo também do terrorismo que está acontecendo em algumas Igrejas e das barganhas que alguns ensinam a fazer com Deus, mediante a entrega de dízimos.
    Portanto o amado perdoe-me, mas discordo do seu ponto de vista,
    Do vosso conservo em Cristo,
    João Augusto de Oliveira

    http://profetadoevangelho.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PAZ CARO IRMÃO J.C.!!

      VI SEU COMENTARIO NO MEU E-MAIL E CONCORDO CONTIGO POIS,EU JÁ HAVIA RECONSIDERADO MINHA POSIÇÃO SOBRE O DÍZIMO POR ESTUDOS.
      OBRIGADO POR SE PREOCUPAR.

      MARIO

      Excluir
    2. Não c esqça q quando Jesus disse em mat.23.23,ainda estávamos na lei do antigo testamento.A lei só terminou quando o testador (Jesus)morreu.Hebreus cap.9 vers.16 e 17.Porq ond há testamento necessário é q intervenha a mort do testador.Porq um testamento tem força ond houver mort,ou terá ele algum valor enquanto o testador viv?Dpois q Jesus morreu,ele ressucitou dos mortos e disse.É me dado todo poder no céu e na terra.(mateus 28 vers.18)Como dizendo,agora é pela graça,é do meu jeito.Antes da morte dele tinha q ser do jeito da lei,tinha q morrer um cordeiro imaculado(Jesus) para tirar o pecado do homem na terra.Por isso Jesus disse q não tinha vindo p/ destruir a lei e sim p/ cumpri la.mateus cap 5 vers.17.E também antes da lei dada por Moisés,o di´zimo era dado voluntariamente,sem obrigação alguma.Jacó por exemplo deu p/ cumprir um voto.

      Excluir
    3. Prezado Anônimo,

      Agradeço a forma objetiva com que usa suas palavras nesse tema tão relevante, o qual acredito ser a principal causa da enfermidade da igreja; porquanto tem-se substituído o amor ao próximo pelo amor ao dinheiro, que é a raiz de todos os males.

      Gostaria que o irmão se identificasse melhor, já que estamos no mesmo entendimento na questão do imposto da Lei (dízimo) em detrimento de uma contribuição voluntária proposta pelo coração, não por mandamentos carnais, mas em forma de oferta de Justiça.

      Paz Seja Contigo!
      J.C.de Araújo Jorge

      Excluir
  2. RESPONDENDO AO AMADO IRMÃO, JOÃO AUGUSTO:

    O Estudo sobre a verdade e as mentiras sobre o Dízimo, só está começando a descortinar, pois há UM ESTUDO com 12 capítulos a serem postados.

    Sobre a passagem de Mateus 23.23, posso adiantar que o Senhor Jesus ainda não tinha concluído a nova aliança no Seu sangue, pois o Senhor encontrava-se na vigência da Lei de dízimos entregues a Levitas. Mesmo assim, aqueles escribas e fariseus que eram fiéis aos dízimos, foram condenados a perdição eterna pela hipocresia de esconder com esta prática (Dízimo) os preceitos da antiga aliança, ou seja, negligenciando o mais importante da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé.
    Portanto, Jesus nunca respaldou o dízimo na Nova Aliança e nem Paulo, o Apóstolo dos gentios e por extensão nosso discipulador, adotou tal prática para a Igreja gentílica.

    Paz Seja Contigo!

    ResponderExcluir
  3. Olá meu querido!
    Agradeço a sua atenção. Desde já reitero que o meu intuito não é polemizar a postagem do amado, mas conforme citei na citação anterior, não concordo com a interpretação do amado (ou de sua Igreja).
    O dízimo não é uma questão "DA LEI MOSAICA", pois o vemos em funcionamento antes da instauração da Lei.
    Portanto o fim da Aliança da lei e a implantação da Graça não anula aquilo que ela não implantou.
    Segundo, se o dízimo findou com a vinda ou com a morte de Jesus, porque então o apóstolo Paulo e os demais nada citam a esse respeito?
    Se fosse tão importante essa questão porque a Bíblia silencia a respeito?
    Condenar aquilo que a própria Bíblia não condena, não seria ir 'ALEM DO QUE ESTÁ ESCRITO?"
    É verdade que não encontramos o Senhor Jesus entregando o dízimo e nem os apostolos, mas também não o vemos condenar a questão.
    Desculpe a redundância, mas Mateus 23.23 Jesus não condena o Dízimo e sim a hipocrisia..
    Paz meu querido e obrigado pela atenção!

    ResponderExcluir
  4. RESPONDENDO A RÉPLICA DO AMADO IRMÃO,
    JOÃO AUGUSTO.

    Gostaria de saber se o irmão leu o Capítulo I da postagem em questão:
    O Dízimo antes da Lei, pois ali encontra-se somente o início do entendimento
    que virá com os novos capítulos a serem postados.

    Pelo fato desta prática (dizimar) ter sido introduzida na igreja romana (católica) há pelo
    menos XIV séculos, a mesma passou a funcionar como se fosse uma verdade bíblica
    neotestamentária; e sendo um assunto que envolve dinheiro, há muitos interesses em jogo;
    até porque, se os líderes evangélicos praticarem o uso correto de ofertas, os mesmos terão que AMAR as suas ovelhas para receber delas a retribuição em forma de contribuição voluntária; ou seja, os pastores terão que pastorear de fato, o que tornará a Igreja Cristã mais espiritual e menos religiosa.

    Concordo que exista muita resistência no nosso ser para entender uma Mentira que se
    repetiu pelos séculos como se fosse uma Verdade absoluta. Mas, creio sinceramente que
    todo aquele que tem fome e sede de justiça, abrirá a sua mente para que uma "hermenêutica
    espiritual", extraída do próprio Espírito Santo, possa iluminar os olhos do coração para que a Verdade prevaleça.

    "PORQUE NADA PODEMOS CONTRA A VERDADE, SENÃO EM FAVOR DA PRÓPRIA VERDADE"
    2ª Corintios 13. 8

    Paz Seja Contigo!

    ResponderExcluir
  5. João Augusto disse...

    Bem! Até o presente momento o irmão ainda não me convenceu biblicamente a "cessação da administração do dízimo" rsss!!!
    Veja bem varão. Como podemos afirmar que com o fim da observância da lei findou também a observância do dízimo, visto que o dízimo existia antes mesmo da Lei?
    Outra coisa, onde está nos escritos neotestamentários a proibição quanto aos dízimos?
    Dizer que a Igreja Católica ou o Concílio de Nicéia, de Cartago, etc. introduziu o dízimo na Igreja é não contar toda a verdade, pois como pode alguém introduzir algo que não se tem registro histórico de que foi abolido?
    Seria o mesmo que reconhecer que Constantino criou a doutrina da Trindade. Como pode alguém criar algo que já está lá a milhares de anos?
    O Concílio não introduziu algo novo ao reconhecer a prática do dízimo, apenas reconheceu uma prática que sempre esteve alí...
    E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro.
    1 Coríntios 4:6

    ResponderExcluir
  6. Ao irmão João Augusto.

    Sobre a sua tréplica a respeito do assunto em questão (Dízimo), gostaria que o
    irmão acompanhasse semanalmente a série de 12 estudos que estarão
    disponíveis no blog do Discípulo. Material este, que constará de
    conteúdos mais aprofundados sobre o assunto, o que permitirá uma
    compreensão mais ampla e descompromissada de conveniência própria
    e/ou dogmas religiosos.
    Diante do exposto, adianto que no estudo de nº 3, será abordado
    " O Dízimo no Novo Testamento ":

    CADA UM CONTRIBUA SEGUNDO TIVER PROPOSTO NO CORAÇÃO,
    NÃO COM TRISTEZA OU POR NECESSIDADE; PORQUE DEUS AMA
    A QUEM DÁ COM ALEGRIA. 2ª CORÍNTIOS 9. 7

    Um abraço do Discípulo de Cristo
    J.C. de Araújo Jorge

    Paz Seja Contigo!

    ResponderExcluir
  7. Há duas passagens Bíblicas que falam de um dízimo sendo dado antes que a Lei fosse instituída no Sinai. As passagens envolvem Abraão e Jacó, dois dos patriarcas de Israel.

    Gênesis 14:17-20: "E o rei de Sodoma saiu-lhe ao encontro (depois que voltou de ferir a Quedorlaomer e aos reis que estavam com ele) até ao Vale de Savé, que é o vale do rei. 18 E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e era este sacerdote do Deus Altíssimo. 19 E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra; 20 E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo. [Todas as citações são da Almeida Corrigida Fiel]"
    Nesta passagem, somos ditos que Abraão deu um dízimo a Melquisedeque, presumivelmente como uma expressão de gratidão a Deus por capacitar-lhe e conceder-lhe resgatar seu sobrinho Ló, que tinha sido levado cativo. Aqueles que crêem que o dízimo é mandatório para os crentes do Novo Testamento argumentam que, uma vez que o dízimo foi praticado antes que a Lei Mosaica fosse dada, ele forçosamente também tem que ser praticado depois da Lei Mosaica (que tem sido feita obsoleta pelo estabelecimento do Novo Pacto, através do sacrifício de Cristo) (He 8:13). No entanto, antes que cheguemos a qualquer decisão dura e apressada, olhemos de mais perto o texto [acima] e façamos algumas observações pertinentes.

    - Não há nenhuma evidência neste texto de que dizimar foi ordenado por Deus. De fato, tudo no texto nos leva a crer que dar o dízimo foi, completamente, uma decisão e [livre] escolha de Abraão. Como tal, foi completamente voluntária. o dízimo, na Lei, de modo algum era voluntário, mas sim obrigatório a todo o povo de Deus.
    - Ademais, este é o único dízimo que as Escrituras mencionam que Abraão jamais deu [em toda a sua vida]. Não temos nenhuma evidência de que dizimar era sua prática geral [habitual, constante].
    - Ainda mais, este dízimo proveio do despojo da vitória que Abraão adquiriu por poderio militar.o dízimo exigido sob a Lei Mosaica era sobre o lucro da colheita, dos frutos e dos rebanhos, e para ser dado em uma base anual -- não o despojo de uma vitória militar!
    se tenho que dar o dizimo segundo abraão, então tenho que dar uma unica vez e proveniente de alguma disputa.

    ResponderExcluir
  8. Gênesis 28:20-22: E Jacó fez um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer, e vestes para vestir; 21 E eu em paz tornar à casa de meu pai, o SENHOR me será por Deus; 22 E esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.
    Jacó, nesta passagem, está fazendo um voto em resposta a uma visitação que recebeu de Deus, em um sonho. Neste sonho, Jacó viu uma escada alcançando o céu, com os anjos de Deus subindo e descendo por ela. No sonho, Deus estava de pé, acima da escada, e disse a Jacó "... Eu sou o SENHOR Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque; esta terra, em que estás deitado, darei a ti e à tua descendência; 14 E a tua descendência será como o pó da terra, e estender-se-á ao ocidente, e ao oriente, e ao norte, e ao sul, e em ti e na tua descendência serão benditas todas as famílias da terra; 15 E eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; porque não te deixarei, até que haja cumprido o que te tenho falado." (v. 13-15). Em resposta, Jacó fez o voto que, se Deus guardasse Sua promessa, ele, por sua vez, daria a Deus um dízimo. Novamente, em semelhança ao exemplo de Abraão, parece que este dízimo foi voluntário da parte de Jacó. Se ele de fato começou a dizimar [a Bíblia não o registra] depois que Deus cumpriu a promessa que lhe fez, Jacó ainda adiou o dizimar por 20 anos! [até depois da volta a Canaã.]

    Estes dois são os únicos exemplos de dizimar que podem ser encontrados no Velho Testamento antes da Lei ser dada. Ambos são exemplos de algo voluntário, e nenhum desses dois dizimar foi pedido por Deus. Em nenhum dos personagens [Abraão e Jacó, que deram estes dois dízimos,] vemos um exemplo de dizimar como uma prática geral [habitual, constante] das suas vida. De fato, na vida de Abraão, parece que temos um dízimo como algo que ele só deu uma única vez em sua vida, e foi [um dízimo] dos despojos de uma vitória militar, dado a um sacerdote de Deus . Se nossa única evidência para obrigar crentes sob o Novo Pacto a dizimarem se apóia nestas duas passagens de Gênesis, parece-me que estamos nos apoiando em um fundamento muitíssimo inseguro!

    ResponderExcluir
  9. Graça e paz a todos!
    Agradeço a Deus por este espasso e aos irmãos pelo carinho com que descutem o assunto!
    A minha opinião é que realmente não a embasamento biblico para o dizimo no novo testamento.
    Porem o que mais me preocupa é que se defende muito a praticia de dizimar, nada contra, mas pouco se discute o que fazer com o dizimo, muios dizem que é responsabilidade do pastor.
    Mas pra que foi determinado o dizimo ao povo de Isrrael? Onde estão os orfãos e as viuvas? E o povo ocidental raro são os que são orfãos e viuvas que não tem penção.
    Se o dizimo foce aplicado de forma correta averia tanto imperio denominacional e religioso?

    ResponderExcluir
  10. O DÍZIMO É UM ROUBO SATANICO, NÃO PODEMOS VER OS LOBOS ROUBANDO A IGREJA E FICAR QUIETOS, POIS DEUS JAMAIS DEU LEI DE MALDIÇÃO PARA A GRAÇA DE CRISTO E ISSO ESTÁ BEM CLARO EM ATOS 15:5,10,24,28,29, RM 3:19, SL 147:19,20, EF 2:11-15. DIZER QUE A LEI DO DÍZIMO É DA GRAÇA É FALTA DE CONHECIMENTO RESPEITO AO REBANHO DO SENHOR,POIS SE A LEI ESTIVESSE VALENDO OS DIZIMOS SERIAM PARA VIÚVAS E CRIANÇAS ÓRFÃS E NÃO PARA ENRIQUECER LÍDERES QUE NÃO DÁ UM PÃO PARA OS ÓRFÃOS OU VIÚVAS E OBRIGAM O POVO ENGANADO A PAGAR DÍZIMOS A RIGOR DE UMA LEI DE MALDIÃO QUE DEUS JAMAIS DEU, VEJA GÁLATAS 3:13, EF 2:15. CL 2:14, HB 7:18, ATÉ O VELHO TESTAMENTO FOI ABOLIDO POR CRISTO, 2ª CORINTIOS 3:14. A LEI É CADUCA, ENFERMA,INUTIL E É USADA PELO DIABO PARA ROUBAR CRENTES, NÃO PODEMOS NOS CALAR. MAS NAQUELE DIA ELES VÃO OUVIR: APARTAI-VOS DE MIM MALDITOS QUE NÃO VOS CONHEÇO, MT 7:15-23. NA GRAÇA SOMOS LIVRES PARA OFERTAR E DEUS ABENÇOA COM QUALQUER PORCENTUAL SE DERMOS DE CORAÇÃO E COM AMOR E ALEGRIA, 2ª CORINTIOS 9:6,7.

    ResponderExcluir
  11. Caro Discípulo de Cristo, amado J.C.de Araújo Jorge,

    A paz amado!

    Parabéns pela coragem! Concordo doa a quem doer.

    Tornou-se um abuso a palavra DEVOLVER, bem como a palavra PAGAR.

    Os que mais COBRAM, normalmente são os que mais escondem a aplicação dos valores arrecadados nas igrejas.

    Investigar onde foi gasto os valores das ofertas, significa para muitos, entrar em uma prisão na qual o silêncio poderá falar mais alto.

    O Senhor seja contigo,

    O menor dos teus irmãos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado e amado pastor Newton,

      Também o parabenizo pela coragem de comentar sobre o tema dízimo, o qual envolve dinheiro, que é um assunto altamente espiritual. Posto que, o seu comentário não só abrilhanta o tema, como também muito me honra, pois o considero um pastor idôneo e preocupado com abusos de líderes evangélicos que exploram a membresia para obter lucros, e não para pastorear de fato.

      Paz Seja Contigo

      Excluir
    2. Meu amado Disc[ipulo de Cristo,

      A paz!

      A bem da verdade, o nosso Senhor Jesus Cristo, convidou-nos a fazermos discípulos e não criarmos ovelhas.

      O Senhor seja contigo,

      O menor.

      Excluir
  12. Obrigado por visitar o site,
    Eu oro a Deus-ma-nu-Israel com você.


    Thank you for visiting the site,
    I pray God-ma-nu-Israel with you.
    http://giadinhgieogiong.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Paz do Senhor,
    Pr. J.C. de Araújo Jorge

    Que a unção do Senhor continue sobre ti, perfumando sua vida, e exalando aos que te rodeiam a fé, a esperança e a sabedoria!

    Sobre o post, quando olhamos para o povo de Deus em todas as épocas, percebemos algo muito controverso com a real vontade do Senhor para esse povo. Notamos uma total falta de conhecimento e maturidade que não condizem com o projeto do Senhor para nossas vida.
    O dízimo é obsoleto e quem pratica, precisa urgentemente conhecer seu blog, para ser livre dessa opressão imposta por pastores que querem somente a lã das ovelhas.


    ResponderExcluir
  14. Olá irmão J.C.,

    Seu texto está irrefutável!
    Eu durante anos fui engando, pensando que estava praticando o que era certo, e que estava agradando a Deus com o chamado: "devolver" o que é do Senhor. Hoje reconheço; e a partir de então, vou ensinar e praticar a generosidade de ofertar voluntariamente com alegria e amor.
    Obrigado por este texto maravilhoso.

    O Senhor te abençoe e te guarde!

    Pr. Robson Santiago

    P.S. Consegui comentar com a minha conta, peço excluir meu comentário como anônimo.

    ResponderExcluir
  15. Achei interessante os artigos abordando temas que muitos hoje não querem ouvir e muito menos falar. Contudo, precisamos entender que fomos chamados para fazermos a diferença e os tempos de mudança chegaram; e a Igreja do Senhor, há de experimentar uma radical mudança nestes dias que antecedem a volta do Senhor Jesus para arrebatá-la.

    Hoje vivemos um tempo em que o conhecimento está acessível a todos e somente permanecerão na ignorância os que tem medo da verdade.

    Aproveitando o foco do assunto, quero enfatizar que o DÍZIMO quando em sua vigência no Antigo Testamento sempre foi ALIMENTO e nunca DINHEIRO. Jesus deixou isso claro em Mt 23.23, quando censurou os religiosos de seu tempo que queriam se justificar diante de Deus pela prática de darem o dizimo do COMINHO, ENDRO e HORTELÃ em detrimento do que era o mais importante da Lei que é o amor, a misericórdia e a fé.

    Porém, um preço temos de pagar por defender essas verdades. Lembra o que aconteceu com Paulo e Silas em Filipos quando acabaram com a fonte de lucro fácil dos homens daquela cidade?

    Que Deus te abençoe.

    Não posso me identificar, por ser pr. auxiliar

    ResponderExcluir
  16. Graça e Paz da Parte de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!
    Obrigado pela visita em nosso humilde blog, é uma honra tê-lo conosco! E visitando o seu blog, fico maravilhado, que o Poderoso Deus continue a lhe usar como canal de bençãos para as nações! E estou contigo nos seguintes dizeress seus: ...que busca as VERDADES no Evangelho de Cristo e não nos dogmas de homens religiosos que anunciam um pseudo-evangelho, conforme seus interesses; pensando, serem eles: "Os donos" da Igreja e não CRISTO, o legítimo CABEÇA DO CORPO.
    Também luto por isso, tenho apanhado e não desito jamais, até o fim! Ah! Já lhe adicionei em meus blog indicados. Parabéns!
    Shalom!
    Pr. André
    Blog Atalaias de Deus
    www.atalaiasdedeus.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. A paz querdido que Deus em cristo continui ti abençoado sempre, com mensagem vinda do coração de Deus para sua vida e tenha certeza que tem edificado a muitos.sirlene_3s@hotmail.com este é o meu msn gostaria de manter contato contigo pelo msn se for possivel. fica na paz.

    ResponderExcluir
  18. Estimado Discípulo,

    Estou em falta contigo, pois há muito que não acesso o seu maravilhoso espaço, e pelo que vejo, as coisas aqui progrediram bastante.

    Como não poderia ser diferente, o irmão está denunciando mais uma heresia em nossos dias.

    Esta postagem está uma brasa viva...espero que amoleça os corações resistentes aos ensinos do apóstolo Paulo que orienta-nos a ofertar em amor...e sem terror!

    Fique na Paz.

    ResponderExcluir
  19. A paz do Senhor!
    Excelente postagem e gostei muito de sua posição ser mantida e concordo plenamente com os amados irmãos em relação à "entrega" ou ao "pagamento" do dízimo. Recentemente aconteceu uma reunião na igreja onde congrego e o Pastor passou a orientação do Pastor-Presidente de que quem não contribuisse com o dízimo não poderia nem impetrar a benção apostólica e pasme nem ao menos fazer uma simples oração durante os cultos nem tampouco ter nenhum cargo.

    ResponderExcluir
  20. Eliseu dos Santos Barbosa30 de agosto de 2012 00:15

    A Paz do nosso Senhor e Salvador

    Conhecer este blog, foi para mim uma resposta literalmente falando.
    Como pode ser isto, o que pensávamos ser verdadeiro não passava de uma mentira, estou até agora estarrecido, atônito, mas satisfeito porque conheci a verdade que tanto buscava!

    Por que os pastores não ensinam o que é certo?
    Por que eles continuam oprimindo as vidas de suas ovelhas?

    Antes, essas perguntas não saíam de dentro de mim. Mas louvo a Deus que estou aqui, e descobri que, há respostas para as minhas perguntas. Eu lhe agradeço por isso...
    Com toda certeza, voltarei para ver o restante deste estudo.
    Parabéns pela coragem que só tem os discípulos e servos de Cristo Jesus!!!

    Eliseu dos Santos Barbosa
    Diácono da Assembléia de Deus
    João Pessoa - PB

    ResponderExcluir
  21. J.C de Araujo Disculpe que envie un comentario con el nombre de otra persona que me recomendó este blog. La verdad que cuando se es guiado por el Espíritu Santo la revelación de su Palabra trae convicción a nuestro entendimiento. Gracias por compartir temas tan interesantes para nuestra vida espiritual. el tema del diezmo es muy bueno y eso es así; debemos como iglesia ofrendar conforme a 2 Corintios 9:6 Dios le bendiga en abundante sabiduría, un abrazo desde Colombia. Le invito a visitar mi blog A solas con Jesús.
    Margarita Messa Benitez

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TRADUÇÃO:

      JC de Araújo, Desculpe por enviar um comentário com o nome de outra pessoa que recomendou este blog. A verdade é que quando guiado pela revelação do Espírito Santo, Sua Palavra traz convicção ao nosso entendimento. Obrigado por compartilhar tais temas interessantes para a nossa vida espiritual. O assunto do dízimo é muito bom e que está bem explicado, nós, devemos ofertar à igreja de acordo com 2 Coríntios 9:6 Deus te abençoe com sabedoria abundante, um abraço da Colômbia. Eu os convido a visitar o meu blog só com Jesus.
      Messa Margarita Benitez




      Excluir
  22. A cada dia vejo e percebo que é o Espirito Santo que nos orienta, obrigado meu irmão pelos esclarecimentos, uma vez que ao levar essa posição ao meu pastor ele teve a coragem de me responder que sem o dizimo a igreja naum sobreviveria. Que DEUS, através do seu Espirito Santo, continue te iluminando.

    ResponderExcluir
  23. Que DEUS continue te iluminando, e que vc meu irmão continue sendo inspirado pelo Espirito Santo. Muitos sabem da verdade, porém, naum tem a coragem que vc teve de ensinar corretamente a PAlavra de DEUS. Outro dia conversei com o meu Pastor a respeito do referido assunto, e ele, me respondeu que sem o dizimo a igreja naum tem como sobreviver.

    ResponderExcluir
  24. Quem quer continuar debaixo da LEI deve dar o Dízimo e ainda praticar todos os outros preceitos da Lei, pois fazer um e deixar outro não pode,
    Agora os que querem viver na GRAÇA procurem ajudar ao seu semelhante e cumpram o único mandamento que é o de Amar o próximo

    ResponderExcluir
  25. infelizmente transformaram o dizimo, a eva da terra, os frutos da terra por dinheiro, dizimo na bíblia jamais fala em dinheiro, e sim em frutos da terra, que era doado para os nesçessitados, hoje e bem diferente, meu pastos tem um carro importado que o valor dele dar para comprar 3 carros populares, será que ele tinha coragem de vender ele para comprar um desses populares, e doar o resto do dinheiro para aqueles que precisam dentro da igreja? era assim que a igreja primitiva viviam, vendinha suas propriedades e davam os pobres, hoje e so carro importados, hotel 5 estrela, e luxo.

    ResponderExcluir
  26. Amados, entrei no seu abençoado blog, e verifiquei que aqui há vida, e que o amor de Jesus impera.
    Dou-lhe os parabéns por este belo blog, que é mais uma ferramenta para levar a Palavra de Deus.
    O problema não está em dar o dizimo mas é como ele é gerido, alguém dirá mas isso não é de sua conta, eu sei que não, mas também posso dar o meu dizimo em beneficio daqueles que precisam, dar o dízimo para receber mais isso não é bíblico, se dou é porque amo o meu Senhor, e dou com alegria, bem mas isto se resume a tudo o que faço para Deus.
    Se desejar faça uma visita ao blog peregrino e servo.
    Fique na paz de Jesus. E muitas vitórias em Cristo.
    António Batalha.

    ResponderExcluir
  27. Amado, a Paz do nosso Senhor Jesus Cristo.
    Cheguei ao blog através do Educadores Multiplicadores e gostei muito, já estou seguindo.
    AGUARDO SUA VISITA EM MEU BLOG http://blogcrescimentocristao.blogspot.com.br/

    GRAÇA E PAZ
    Cristina

    ResponderExcluir
  28. Amados irmãos,

    Meu nome é Nayara, me congrego na assembleia de Deus em Belém/pa.

    Após ler os comentários resolvi escrever umas indagações, quem puder, por favor responda, é o seguinte:

    1º O dízimo, antes da lei, era uma mandamento?

    2º Se era uma mandamento, então porque Abrão deu o dízimo voluntariamente(ele não foi obrigado) enquanto que Jacó condicionou a sua entrega?

    3º Se aceitam o argumento de que o dízimo é válido por ser antes da lei, então pelas mesmas razões não seria correto praticar a cincuncisão, os holocaustos, as festa santas, a escravatura pois também são práticas que surgiram antes da lei?

    4º Quando começa de fato o NT, antes ou depois da morte de Jesus?

    5º Sendo praticante da lei (pois ELE nasceu sob a lei) Jesus poderia proibir o dízimo?

    6º Se em MT. 23:23 Jesus está comfirmando o dízimo, então pelas mesmas razões Jesus também confirma a prática de holocaustos quando ordena que um homem curado fosse oferecer sacrificio conforme a lei?

    7º Se devemos praticar o dízimo porque não encontramos passagens bíblicas em que Jesus proiba (condene)o dízimo, então devemos procurar a proibição de cada ponto da lei para podermos, então, deixar de cumprir os mandamentos da lei?

    8º Onde está pelos menos implícito que Paulo se referiu ao dízimo quando discorreu da contribuição voluntaria? Ele não estava se referindo a caridade de povos que passavam necessidade?

    9º Jesus podia condenar o que estava em pleno vigor?

    10º Quer dizer então que devemos encontrar no NT ponto a ponto das mais de 600 ordenanças descritas na lei para deixarmos de cumprir?

    Nayara Silva

    (silvanayara75@yahoo.com.br)




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada irmã Nayara,

      Obrigado por visitar meu blog, é sempre muito bom poder compartilhar o entendimento da Nova Aliança conquistada pelo sacrifício no precioso sangue do Senhor Jesus, o qual pelo Espírito Santo passamos a ser conduzidos a toda verdade nos temas cotidianos, assim como na questão do equívoco do dízimo para a Igreja do Novo Testamento, em detrimento das ofertas de justiça de forma voluntária proposta pelo coração de todo aquele que crê.

      Na tentativa de responder alguns de seus questionamentos e indagações, verifico que a irmã tem obtido respostas a partir das próprias formulações descritas no seu comentário acima.

      1º O dízimo, antes da lei, era um mandamento?

      R: Não.
      Se você está se reportando ao dízimo de Abraão entregue a Melquisedeque, refere-se tão somente a entrega de despojos de guerra (costume daquela época).

      2º Se era uma mandamento, então porque Abrão deu o dízimo voluntariamente(ele não foi obrigado) enquanto que Jacó condicionou a sua entrega?

      R: Como já explicado acima, não tratava-se de mandamento de Deus.

      3º Se aceitam o argumento de que o dízimo é válido por ser antes da lei, então pelas mesmas razões não seria correto praticar a circuncisão, os holocaustos, as festa santas, a escravatura pois também são práticas que surgiram antes da lei?

      R: Essa resposta a irmã já respondeu pelos questionamentos acima, com o qual concordo.

      4º Quando começa de fato o NT, antes ou depois da morte de Jesus?

      R: Com certeza, após a morte do Senhor Jesus e na sequência foi fundada a Igreja de Cristo.

      5º Sendo praticante da lei (pois ELE nasceu sob a lei) Jesus poderia proibir o dízimo?

      R: Não.
      Pois Ele foi o único que conseguiu cumprir toda a Lei, principalmente a condenação eterna que nos estava proposta no Dia do Juízo.

      Paz Seja Contigo,
      Discípulo de Cristo

      P.S. Abaixo, segue-se o restante das perguntas e respostas.

      Excluir
    2. 6º Se em MT. 23:23 Jesus está confirmando o dízimo, então pelas mesmas razões Jesus também confirma a prática de holocaustos quando ordena que um homem curado fosse oferecer sacrifício conforme a lei?

      R: A passagem de Mateus 23. 23 está registrada na divisão bíblica do Novo Testamento, porém a mesma faz parte da Antiga Aliança.
      Lembrando que esta confirmação era para o povo da Velha Aliança seguidor da Lei mosaica, para que nEle se cumprisse toda Lei. Contudo ao confirmar a Lei levítica, o Senhor Jesus exorta e condena a elite de escribas e fariseus hipócritas que cumpriam a Lei mosaica só na aparência, desprezando os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; ou seja, não distribuíam a parte das viúvas, dos órfãos e muito menos dos estrangeiros. Portanto, foram condenados pela seguinte expressão: Ai de vós...

      7º Se não devemos praticar o dízimo, porque não encontramos passagens bíblicas em que Jesus proíba (condene)o dízimo, então devemos procurar a proibição de cada ponto da lei para podermos, então, deixar de cumprir os mandamentos da lei?

      R: O Senhor Jesus não veio para descumprir a Lei mosaica, pelo contrário Ele cumpriu toda Lei em nosso lugar, portanto a Lei foi cumprida e abolida em Cristo na cruz do Calvário, com todos os preceitos, ordenanças, estatutos e mandamentos carnais.


      8º Onde está pelos menos implícito que Paulo se referiu ao dízimo quando discorreu da contribuição voluntaria? Ele não estava se referindo a caridade de povos que passavam necessidade?

      R: O apóstolo Paulo foi chamado pelo Senhor Jesus para discipular a igreja gentílica(não judeu); assim sendo, afirmo baseado nos escritos neotestamentários, que não está implícito e muito menos explícito a Lei do dízimo na Nova Aliança; porquanto, vivemos pela graça na Lei do amor, ofertando voluntariamente.

      9º Jesus podia condenar o que estava em pleno vigor?

      R: Não podia condenar a Velho Testamento, somente cumpri-lo em nosso lugar, não obstante com a sua morte redentora, surge um Novo Testamento, já que o antigo foi abolido na vida de todo aquele que crer, e quem quiser viver pela Lei e desprezar a graça salvadora da Nova Aliança, terá que cumprir na totalidade da Lei, sem tropeçar em um sequer mandamento para ser salvo, o que é impossível ao homem.

      10º Quer dizer então que devemos encontrar no NT ponto a ponto das mais de 600 ordenanças descritas na lei para deixarmos de cumprir?

      R: Se você quiser complicar a sua vida, se prenda as tais 600 ordenanças descritas na letra da Lei. Caso contrário, se quiser obedecer ao Senhor Jesus, viva o Evangelho da Graça(NT), onde o Espírito Santo te conduzirá em toda justiça, misericórdia e amor.

      Um abraço do Discípulo de Cristo,
      J.C.de Araújo Jorge

      Excluir
  29. A paz, irmão J.C de Araújo Jorge

    Obrigada pelas respostas. Elas são coerentes e baseadas nos escritos bíblicos. Compartilho com o seu entendimento em gênero, número e grau.

    A minha real intenção com as indagações publcadas aqui é ouvir os que acreditam que o dízimo é um preceito válido para o povo da graça. Tenho grande anseio em ouvi-los.

    Revelo que não sou contra a contribuição nas igrejas. Eu mesma sou uma contribuinte mensal. Sei dos gastos que uma igreja tem para se manter. Agora ninguem esta autorizado a ressucitar uma lei em nome de uma necessidade física. O dízimo é uma doutrina falida assim como os demais ensinos da lei.

    Aguardo respostas,

    Figuem na paz,

    nayara Silva



    ResponderExcluir
  30. Em meio estes tão contrariantes debates eu gostaria de fazer uma pergunta:
    Se o dizímo é uma doutrina tão importante por que os discipulos de JESUS NÃO ESCREVERAM NADA A RESPEITO (DO DIZIMO)?

    ResponderExcluir
  31. Parabéns pelo blog e pelos estudos aqui apresentados. A 10% parte de tudo q recebemos não é nosso pertence ao Senhor Deus foi Ele quem determinou assim por isso é que devemos obedecer. Que o Espírito Santo de Deus nos ajude a compreender melhor a sua palavra. Fique na paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amada irmã Nal Pontes,

      Agradeço sua visita, porém lamento que a irmã não tenha entendido a diferença entre a antiga aliança, a qual não aperfeiçoou coisa alguma, todavia nos serviu de sombra para que entendêssemos a necessidade da Nova Aliança através do sacrifício do Senhor Jesus na Cruz do Calvário. Portanto, a ordenança do dízimo foi substituída pela Lei do Amor, em forma de oferta de justiça proposta pelo coração voluntário e não por mandamento carnal da Lei Levítica; conforme nos orienta o Espírito Santo por meio do apóstolo Paulo, em II Coríntios 9. 7:

      CADA UM CONTRIBUA SEGUNDO TIVER PROPOSTO NO CORAÇÃO, NÃO COM TRISTEZA OU POR NECESSIDADE; PORQUE DEUS AMA A QUEM DÁ COM ALEGRIA.


      Um abraço do Discípulo de Cristo,
      J.C.de Araújo Jorge

      Excluir
  32. Hermano, D-os le bendiga grandemente, ante todo comparto con usted sus palabras y creo en lo personal firmemente que el diezmo en estos tiempos es más tropiezo que bendición y sin lugar a dudas utilizada por el enemigo para el propósito de hacer tropezar la palabra del Eterno. ¿acaso la salvación debemos comprarla? Muchos por sentimientos mezquinos imponen la ley del diezmo, pero estamos bajo la gracia y no debemos esclavizarnos bajo la ley. Al recibir a Jeshua en nuestro corazón, estamos bajo el perfecto amor de El, y sólo debemos obedecer los mandamientos que El dejó.
    En el libro de Mateo leemos: "Jesús le dijo: Amarás al Señor tu Dios con todo tu corazón, y con toda tu alma, y con toda tu mente. Éste es el primero y grande mandamiento. Y el segundo es semejante a éste: Amarás a tu prójimo como a ti mismo. De estos dos mandamientos pende toda la ley y los profetas." Mateo 22:37-40
    Cuando leemos los evangelios debemos primeramente ver a quien iba dirigido el mensaje. Recordemos que Jeshua fue judio y que el no vino en ese momento a abolir la ley sino a cumplirla, en ese tiempo y espacio. Pero sin embargo El dejó demostrado con su acción que el amor era primero antes de cualquier ley. El sanaba un sábado si tenía que hacerlo, a la mujer le dio un lugar privilegiado de estar a sus pies escuchándolo, cuando la ley prohibía a la mujer tener vida pública, los escribas más de una vez le hicieron notar que el no estaba acatando la ley. Pero El una y otra vez con hecho demostraba que el amor estaba primero. Sólo digo ¡basta de religiosidad, busquemos al que vive en Espíritu y verdad, en libertad. El pagó el precio por nosotros.
    Y aquellos que están están llevando una obra, no precisan del diezmo para llevarla adelante, sólo crean, humillesen ante El y pongan en práctica lo que dice en Mateo 6:33 "Mas buscad primeramente el reino de Dios y su justicia, y todas estas cosas os serán añadidas."
    Bendiciones desde Uruguay, hermano Jorge y siga adelante con fe.
    "Yevarejejá Yahwéh Veishmereja"
    Ana María

    ResponderExcluir
  33. Graça e Paz!

    Qual o pastor/bispo/apóstolo que ao perceber a mina de ouro que é ter um templo vai pregar contra o dízimo? Simples aritmética.

    É bastante simples: basta olharmos o padrão de vida que mantém, seja no Brasil ou no exterior, e veremos hialinamente o porque do ferrenho apego ao dízimo, dos outros é claro. Isso é matéria fática, ou seja, pode ser provado.

    Como profissional liberal, digno do meu mister, tenho minhas declarações de renda abertas sem o menor receio, posto serem corretas, afinal vivo o Evangelho, e desafio os pastores/bispos/apóstolos a fazerem o mesmo.

    Para terminar: para o remido que já recebeu, sem merecimento, a salvação é melhor ofertar em amor.

    ResponderExcluir
  34. A nossa vida, pela Palavra de Jesus, deve ser vivida com base em duas premissas: AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AO PRÓXIMO COMO A NÓS MESMOS. Os fiéis devem ser esclarecidos acerca dos fatos históricos concernentes à questão de como deve ser mantida a obra de Deus. Há um lado espiritual, da busca da graça e misericórdia de Deus, e um lado material, correspondente às providências que se devem promover para que a obra de Deus tenha continuidade. Nesse segundo caso, qualquer pessoa com um mínimo de entendimento há de concordar que são os fiéis, os que usam os serviços da Igreja, aqueles que devem assumir as responsabilidades pelo custo financeiro de se manter a obra. O dízimo é um referencial, mas ninguém pode ser constrangido a dar dízimo ou oferta, pois essa é uma atitude pecaminosa, isto é, constranger alguém a alguma coisa. Aquele que dá para obra, deve fazê-lo voluntariamente e com amor e alegria no coração. Não sendo assim, é abominação para Deus, pois Deus não se agrada de sacrifícios e ofertas interesseiras ou mal intencionadas, por qualquer forma. É grande burrice dar dízimo e oferta constrangido por exortação equivocada, sentindo-se ladrão do que é de Deus, se não se submeter a essa doutrina que, na verdade, é diabólica, pois escraviza aquele que a ela se submete. Cada um irá prestar contas do que fez ou deixou de fazer, contrariando a vontade do Senhor Jesus. A coisa só funciona na base da lei do amor e da semeadura da boa semente. Fora disso é engano e abominação!

    ResponderExcluir
  35. Discípulo de Cristo,


    Olá,

    Isso não está para equívoco, está para desobediência,

    O mais importante : JESUS cobrou dízimos ?

    Malaquias 3.7 fala AOS FILHOS DOS JUDEUS,
    Malaquias 4.4 fala A TODO ISRAEL,

    Jesus quando fala a escribas e fariseus sobre o dízimo, estava falando aos JUDEUS, não aos gentios, ou ex-gentios que somos nós,

    é estranho os crentes fazerem tantas menções (mencionarem) de comparações de igrejas que não batem com a Igreja PRIMITIVA, saberem dizer com precisão ONDE não estão de acordo com a primeira igreja de Atos, e não NOTAREM por OBSERVAÇÃO que a Igreja de Atos, a igreja no Novo Testamento, NÃO COBROU DÍZIMOS,

    SE DÍZIMOS é para nossos dias,
    a CIRCUNCISÃO também é,

    Em Atos 15 alguns que se converteram dos fariseus queriam que os novos convertidos se CIRCUNCIDASSEM, porém os apóstolos não permitiram,

    eles queriam trazer para igreja uma prática dos JUDEUS, e isso NÃO FOI PERMITIDO,

    Ora, MALAQUIAS e JESUS falaram AOS FILHOS DOS JUDEUS E AOS JUDEUS sobre DÍZIMOS.

    Então a pergunta não é se Jesus ensinou sobre Dízimos,
    a pergunta é :

    Jesus cobrou dízimos ?
    Os apóstolos cobraram dízimos ?
    (apóstolos = a igreja de Atos/N.T. cobrou dízimos? )

    R : NÃO.


    fica na paz,
    Cordialmente,

    Ray







    ResponderExcluir
  36. Olá sou o Léo não faço parte de igreja nenhuma pois Cristo não fundou igreja institucional,mas fundou uma igreja viva(onde estiver dois ou mais reunidos no Seu nome). Estes lobos devoradores,só querem a lã e a gordura das ovelhas,são hipócritas,são os modernos fariseus ou até piores,pois usam o nome de Cristo,para seus próprios benefícios,são o motivo para as blasfêmias dos incredulos,pois até quém ta de fora enxergam as robalheiras desses lobos,eles quém estao roubando a Deus,roubando os Seus filhos do verdadeiro caminho para um caminho de avareza e cobiça. Trazendo algo obsoleto do VT para o NT para a perdição das almas desatentas a verdade,eu queria desafiar um lobo desses a mim provarem na bíblia onde o dízimo foi alguma vez em dinheiro. Isso tudo porque o dinheiro é o deus adorado nesse mundo e nas falsas igrejas não é diferente,ele é visado no mundo e nas igrejas,infelismente. Que Deus nos abençoe e nos ajude a buscar em primeiro lugar o Seu reino e a Sua justiça e a cumprirmos todos os Seus mandamentos.

    ResponderExcluir

As refutações serão devidamente respondidas!
Não serão publicados comentários com os seguintes conteúdos:
- Palavrões;
- Conteúdos Ofensivos;
- Comentários Anônimos;

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...