domingo, 21 de dezembro de 2014

DISCERNINDO AS ESCRITURAS E CONHECENDO O PODER DE DEUS...





ANALISANDO OS VERSÍCULOS ABAIXO:

"Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, vim cumprir"
Mateus 5. 17

 "A lei e os profetas vigoraram até João; desde esse tempo, vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça para entrar nele" 
Lucas 16. 16 

"É mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til sequer da lei"
Lucas 16. 17


Pela literalidade dos textos acima, parece haver contradição entre eles, principalmente nos dois primeiros; contudo, pelo discernimento da Palavra viva e não somente da letra, se é possível   chegar a seguinte conclusão:

No primeiro versículo aponta que, para que a exigência da lei fosse cumprida, o Senhor Jesus teria de cumprir toda a velha aliança em nosso lugar, inclusive a maldição da mesma representada na forma de condenação eterna, a qual foi transmitida a toda humanidade pela desobediência de só homem (Adão), haja vista  não existir um justo, nenhum sequer que pudesse comparecer diante de Deus para salvar-se da condenação eterna. 

O segundo indica que, em João encerrou a Velha Aliança composta de Leis e Profetas, visto que uma nova e superior estava por surgir num sacrifício único e definitivo; isto é,  pelo sangue derramado do Senhor Jesus na cruz do Calvário para remissão dos pecados de todo aquele que O aceitar como Senhor e Salvador.

Quanto ao terceiro versículo, o entendimento do mesmo não é como muitos imaginam,  ou seja, é possível  interpretar o referido texto de forma distorcida e sem o real entendimento do Espírito Santo,  isto é,  julgar  tratar-se de uma total observância ao Velho Testamento pelos cristãos da Nova Aliança, o que por si só se constitui em  uma  heresia  dos  Escritos  Neotestamentário.

 Entretanto, é necessário que os Escritos da Antiga Aliança (v. t.)  permaneça por mais algum tempo;  não somente pela historicidade bíblica, mas principalmente  para que o Supremo Juiz possa julgar a humanidade condenada em seus delitos e pecados, a saber, no Dia do juízo final.

É notório que todo país tem a sua Constituição composta de códigos e leis, e que o Velho Testamento é a Constituição para o mundo, o qual julgará o mesmo pelo rigor da antiga aliança. Portanto, todos os que não receberam a substituição de seus pecados pelo sacrifício vicário do Senhor Jesus,  não passará nem um i ou um til  para aqueles que  Não  Estão  debaixo da Lei do Amor de Cristo,  pois  todos eles  serão   condenados como réus da Lei e dos Profetas, porquanto  desprezaram  tamanha Salvação  pela  Graça  de  Cristo Jesus.

 Conclui-se portanto que, após o cumprimento das profecias bíblicas (Milênio e o Juízo Final), a terra na forma como a conhecemos e os céus serão  destruídos, finalizando dessa forma o sistema das coisas materiais, conforme relato do Apóstolo Pedro (2ª Pedro 3.  7- 11),  o que culminará  no cumprimento do versículo supracitado  em  Lucas 16. 17.



Paz seja com todos,
JC de Araújo Jorge

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL: Mito Religioso ou Reunião de Neófitos?



A VERDADE DOS FATOS

1. Não vejo aproveitamento da E.B.D. na forma como se apresenta, ou seja, revistas comentadas por homens religiosos com objetivos promocionais e de pouca revelação das Escrituras Sagradas, principalmente falta de interesse em entender os escritos neotestamentários, dando primazia a lei e os profetas que vigoraram até João Batista; esquecendo-se que, não basta somente receber o Salvador, mas é necessário que o Senhorio de Cristo (Caminho) se manifeste em nossas vidas pela observância dos ensinamentos das Boas Novas do Evangelho e das cartas apostólicas dirigidas a Igreja de Cristo.


2.  Esse método de "ensino", engessado e sem unção, não tem como atrair frequentadores, mesmo que se faça altos investimentos em sala de aula.


3. Para ensinar a Palavra de Deus é imprescindível que se tenha o Chamado do Alto, o que normalmente não acontece. Portanto, corre-se o risco  de estar cometendo um desserviço ao Reino.


4. O que eu pude observar em várias denominações que usa a E.B.D. como instrumento de ensino é que, sem saber seus pseudos professores quando expressam sua opinião extra revista, os alunos saem mais confusos do que quando entraram em sala de aula, basta perguntar aos mesmos logo em seguida, sobre o que foi ensinado.


5. Não basta ter orgulho da E.B.D, é preciso analisar a situação com olhos espirituais, não de forma simplista, colocando a culpa nos cristãos que pouco frequentam a referida reunião da E.B.D.


6. Em minha opinião, o Estudo Bíblico deveria ser realizado por alguém com Chamado Ministerial de Mestre e com aptidão para o ensino, consagrado e capacitado pelo Espírito Santo para o entendimento não só da letra, que até o diabo conhece, mas principalmente da  Palavra revelada.


7. Discordo da fragmentação do ensino em classes distintas, com exceção das crianças. Portanto, sou a favor de ESTUDO BÍBLICO em turma única, sem contudo fazer uso de revistas, como já dito anteriormente. Porque a Escritura Sagrada e principalmente o Novo Testamento, é fonte de toda sabedoria para nossa caminhada cristã.




APESAR DE NÃO FAZER CORO COM A MAIORIA, ESPERO QUE DE ALGUMA FORMA POSSA TER CONTRIBUÍDO NA ELUCIDAÇÃO DESTE TEMA TÃO MAL COMPREENDIDO POR ALGUNS E GERANDO MOTIVO DE ORGULHO EM TANTOS OUTROS.


GOSTARIA QUE OS AMADOS LEITORES CONSIDERASSEM ESTE POST NÃO COMO CRÍTICA, MAS SIM COMO UMA PEQUENA COLABORAÇÃO NA EDIFICAÇÃO DO CORPO DE CRISTO.


Paz seja com todos,

terça-feira, 14 de outubro de 2014

TRAGÉDIA NO PARAÍSO: De Síndrome de Eva à Mulheres "Pastoras"!




TRAGÉDIA  NO  PARAÍSO

Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selvagens que o Senhor Deus tinha feito, foi o principal instrumento usado por Satanás para a queda do homem.
O inimigo vendo que a mulher tirada da costela de Adão, era parte mais fraca e suscetível a sedução, passou a investir em Eva como o alvo preferido para concretizar seu plano satânico.

Observando Satanás o afastamento da mulher ( adjutora ) do seu companheiro ( Adão ) a procura de algo no Jardim do Éden que satisfizesse sua curiosidade feminina, ou quem sabe, algum "Shopping Botânico"  que lhe trouxesse mais novidades que aguçasse em Eva  o desejo de afastar-se da presença do seu  protetor ( Adão ). Fato este, que permitiu ao inimigo fazer sua investida diabólica através de uma serpente, a qual não só falou, como também propôs a Eva o seguinte diálogo:

Que aquela árvore do conhecimento do bem e do mal, contemplada por Eva, era boa para se comer (saciável a carne), agradável aos olhos (satisfazer as emoções) e desejável para dar entendimento (auto-suficiência), poderia ser experimentada (comer de seu fruto), sem sofrer o dano da morte, como o Senhor Deus havia dito ao casal.
Proposto isto pela serpente, a mulher deveria estranhar que um animal pudesse falar como se fosse gente, ainda mais, palavras contrárias ao Deus Criador.
 Como também,  deveria afastar-se imediatamente daquele animal estranho, procurando o seu companheiro para contar-lhe toda argumentação diabólica da serpente, 
a qual propôs a desobediência ao mandamento do Senhor Deus.
Mas, Eva preferiu obedecer a serpente e comer do fruto proibido, 
para depois então comunicar o ocorrido a Adão.
Adão por sua vez não colocou o mandamento de Deus em primeiro lugar, 
pois ao receber do fruto que a mulher havia comido, preferiu associar-se a ela, porque sabia que a punição pela desobediência traria inevitável separação, daquela que era osso do seu osso e carne de sua carne. E assim também comeu do fruto, motivado pela síndrome de Adão (paixão desenfreada pelo sexo oposto), fazendo-se participante da mesma transgressão que Eva, e consequentemente caindo em condenação.



SENTENCIADOS  POR  DEUS

A SERPENTE:
Maldita entre todos os animais, rastejarás sobre o teu ventre e comerás pó todos os dias da tua vida. Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente ( Jesus ). Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.
Gênesis 3. 14 - 1


A MULHER:
Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará.
Gênesis 3.  16


O HOMEM:
Maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida. No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que torne-se à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás. 
Gênesis 3.  17 - 19

A HUMANIDADE
( herança da natureza adâmica )

DESOBEDIÊNCIA ( não obedecer aos mandamentos de seu Criador )
MORTE FÍSICA    ( envelhecimento das células, doenças e morte )
MORTE ESPIRITUAL  ( perda de comunhão com Deus, angústias e sofrimentos )
PERDA DA SALVAÇÃO  ( condenado a ficar no lugar criado para satanás e seus anjos decaídos)
Em vez de desfrutar eternamente da Comunhão do Deus Pai, Filho e Espírito Santo.

CONCLUSÃO
Para solução dessa tragédia sem precedente e de consequência desastrosa, foi necessário que o segundo Adão ( Jesus ) se fizesse carne e habitasse entre nós, pagando um alto preço pela desobediência de um só homem; por conseguinte, trazendo salvação a toda humanidade que o aceitar como único Senhor e Salvador.
Romanos 5. 19


 "MULHERES  PASTORAS"

O Apóstolo Paulo, discipulador dos gentios, no versículo 11 do capítulo 2 da primeira carta a Timóteo, exorta as mulheres incultas por tradição e de pouco conhecimento das Boas Novas, a não fazerem perguntas no período de reunião de culto pela igreja, mas que aprendessem em silêncio com toda submissão, e deixassem que suas dúvidas fossem tiradas pelo marido em sua própria casa, sendo ele mesmo (o marido) o sacerdote do lar.

A proibição do Apóstolo de não permitir que a mulher ensine e nem exerça autoridade de homem na igreja (governo pastoral) é categórica, pois segundo o Espírito Santo através de Paulo, a mulher não tem autoridade espiritual para tal cargo ministerial,
conforme fundamentações a seguir:

 1ª FUNDAMENTAÇÃO:  ( I Timóteo 2. 11)
A mulher aprenda em silêncio, com toda submissão.


2ª FUNDAMENTAÇÃO: ( I Timóteo 2. 12)
E não permito que a mulher ensine, nem exerça autoridade de homem; esteja, porém, em silêncio.

3ª FUNDAMENTAÇÃO:  ( I Timóteo 2. 13 )

Porque primeiro foi formado Adão e depois Eva.


4ª FUNDAMENTAÇÃO: ( I Timóteo 2. 14 ) 
E Adão não foi iludido (seduzido), mas a mulher, sendo enganada caiu em transgressão.
(grifo e parêntese do autor do blog)

5ª FUNDAMENTAÇÃO: ( I Timóteo 2. 15 )

Todavia, será preservada através de sua missão de mãe, se ela permanecer em fé, e amor, e santificação, com bom senso.



MODISMO: Nos últimos dias percebe-se um crescente modismo no meio cristão, que se constitui numa espécie de "carona ministerial" de esposas de novos ministros do evangelho, as quais são ordenadas de forma automática, quando na consagração de seus maridos ao Ministério Pastoral .
Isto só demonstra falta de conhecimento ou descaso bíblico daqueles que promovem
 esse tipo de "consagração conjunta."


FALTA DE ENTENDIMENTO: Gostaria de enfatizar que toda mulher tem seu valor, e é essencial no Corpo de Cristo; haja vista a importância de suas orações intercessórias, a partir de sua própria família e estendendo-se aos demais membros da comunidade cristã.
Todavia, é falta de entendimento das Escrituras o querer auto denominar-se "pastoras"; pois, aqueles por quem  elas  são "consagradas" ao  ministério  pastoral,  não  tem  autoridade espiritual  para  tal  ato;  já que,  não se pode validar aquilo que a PALAVRA (N.T.) desaprova.


SÍNDROME DE EVA : Existe uma tendência das mulheres (feministas e insubmissas) de não aceitarem que seus maridos atuem como cabeça do casal; promovendo desta forma uma verdadeira inversão de valores na autoridade familiar, que resulta em má criação dos filhos e consequentemente deformação cristã no caráter dos mesmos.



CONCLUSÃO


Nos dias atuais parece estar "fora de moda" fazer tal comentário; posto que, a mulher tem acesso a todo ensino e cultura, podendo exercer neste mundo qualquer função masculina, 
 inclusive presidir nações. 

Entretanto, na Igreja de Cristo, trata-se de Governo Espiritual e não humano.

O IDE de Jesus é para todos, porém o assunto em questão é 
Ensino e Governo na Igreja 
e não evangelismo pessoal. 
Portanto, a continuação deste modernismo religioso:
mulheres exercendo Governo na Igreja,
 é no mínimo prevaricar e desobedecer ao Espírito Santo e o que a Palavra nos ensina no Evangelho de Cristo.



Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas:
Ao vencedor dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.
Apocalipse 2. 7


Paz seja com todos!

domingo, 5 de outubro de 2014

JUÍZO FINAL: Falso profeta X Igreja de Cristo.


REPROVADOS POR CRISTO

OS  FALSOS  PROFETAS

Antes de fazer algum comentário sobre os falsos profetas do nosso tempo, gostaria de enfatizar que muito antes dos mesmos se intitularem como "profetas", foram plantados na igreja de Cristo como joio que cresceu no meio do trigo e se estabilizaram, conforme parábola a seguir:

Outra parábola lhes propôs, dizendo: o reino dos céus é semelhante a um homem que semeou boa semente no seu campo;
mas, enquanto os homens dormiam, veio o inimigo dele, semeou o joio no meio do trigo e retirou-se.
E, quando a erva cresceu e produziu fruto , apareceu também o joio.
Então, vindo os servos do dono da casa, lhe disseram: Senhor, não semeaste boa semente no teu campo ? Donde vem, pois,
o joio ?
Ele, porém, lhes respondeu: Um inimigo fez isso. Mas os servos lhe perguntaram: Queres que vamos e arranquemos o joio ?
Não ! Replicou ele, para que ao separar o joio, não arranqueis também com ele o trigo.
Deixai-os crescer juntos até a colheita, e no tempo da colheita, direi, aos ceifeiros: ajuntai primeiro o joio, atai-o em feixes para ser queimado; mas o trigo recolhei-o no meu celeiro.
Mateus 13. 24 - 30


Segundo meu entendimento, o ensinamento do Senhor Jesus na parábola do joio, o homem em questão que semeou a boa semente, representa o Senhor Jesus que, através do Espírito Santo nos convence do pecado, da justiça e do juízo.

A boa semente, são aqueles que ouvem as Boas Novas do Evangelho e recebe Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas, passando a viver em novidade de vida.

Os homens que dormiam, são os dirigentes da igreja de Cristo que dormem ao se envolver com as diversas formas religiosas, com a boa intenção de crescer e prosperar, porém sem vigilância.
A falta de discernimento espiritual de algumas lideranças evangélica, permite que o inimigo (diabo)  semeie o joio no meio do trigo, plantando seus escolhidos no seio da igreja.
O dom de discernimento de espíritos, permitiria aos ministros de Cristo que os candidatos ao batismo, não passassem pelas águas até que sua libertação fosse totalmente plena. Mas, ocorre muitas vezes de pessoas não libertas serem batizadas, membradas e acolhidas junto a membresia do corpo. Permitindo desta forma que os mesmos cresçam juntos ( joio e trigo ) e que ocupem cargos importantes no seio da igreja. 
Por isso,  não é prudente ao identificar o joio já estabilizado no corpo ministerial, arrancá-lo do seu lugar, mas sim, que se administre com sabedoria tal situação desagradável. Pois, se os mesmos forem denunciados e banidos, levaram consigo também o trigo, disseminando entre os membros do corpo: discórdia, divisões e até abertura de seitas.

O dono da casa representa  o  Senhor Deus  e  os  servos,  os  santos anjos de Deus, que pedem permissão ao senhor Jesus para arrancar o joio.  O que não lhe foi permitido até que cresçam juntos ( joio e trigo ) e os anjos recebam  permissão  para a  devida separação  no  tempo da colheita  (Juízo Final).

Nem todo o que diz: Senhor, Senhor! entrará no reino  dos céus, mas aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus.
Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres?
Então lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade.
Mateus 7. 15-20 , 21-23

Conforme relato bíblico acima, os que profetizavam, expulsavam demônios e faziam muitos milagres, foram reprovados por Jesus por praticarem iniquidade. São os mesmos que o diabo semeou, cresceram e deram frutos, porém o Senhor Jesus nunca habitou no coração deles. Porque eram  joio  que  se  tornaram  falsos profetas. 



CRENTES DESVIADOS
Mateus 25. 41 - 46

Sinceramente não acredito que exista cristão desviado, pois aquele que entendeu o sacrifício de Jesus na cruz do calvário e nasceu de novo, jamais conseguiria desviar-se do Caminho que conduz a Vida.
Quanto ao crente desviado acredito plenamente; pois crê em Deus até o diabo crê e estremece, podendo ser considerado o primeiro crente desviado a se ter notícia.
Os crentes desviados são também aqueles que, apesar de ter recursos da igreja ou deste mundo, não se importam em alimentar o que tem fome, saciar o sedento, hospedar o forasteiro, vestir o que estar nu, nem visitar os enfermos e encarcerados. Porque, ao deixarmos de fazer o bem aos mais pequeninos e necessitados, deixamos de fazer ao próprio Senhor Jesus. Portanto os desviados podem praticar bastante religiosidade gospel e apresentar-se politicamente corretos. Porém,  naquele grande Dia,  também   serão  reprovados.


                       IGREJA   DE  CRISTO

Quando vier o Filho do homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então se assentará no trono de sua glória;
e todas as nações serão reunidas em sua presença,e ele separará um dos outros, como o pastor separa os cabritos as ovelhas;
e porá as ovelhas a sua direita, mas os cabritos, à esquerda;
então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.
Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me deste de beber; era forasteiro, e me hospedastes;
estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me.
Então, perguntarão os justos: Senhor quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber?
E quando te vimos forasteiro e te hospedamos ? Ou nu e te vestimos?
E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar?
O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.
Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.
Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
Sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu não me vestistes; achando-me enfermo e preso, não fostes ver-me.
E eles lhe perguntaram: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso e não te assistimos!
Então, lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixaste de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer.
E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna.
Mateus  25.  31-46


CONCLUSÃO

Quanto aos crentes reprovados acima, creio sinceramente serem todos aqueles que apesar de ter recursos da Igreja (dirigentes) ou mesmo deste mundo (crentes afortunados), não se importam em alimentar os que tem fome, saciar o sedento, hospedar o forasteiro, vestir o que está nu, nem visitar os enfermos e encarcerados. Porque, ao deixarem de fazer o bem aos mais pequeninos e necessitados, deixarão de fazer ao próprio Senhor Jesus.

Portanto, os religiosos desviados, podem estar politicamente corretos; porém, também serão reprovados naquele grande Dia.


Paz seja com todos,
JC de Araújo Jorge



sexta-feira, 3 de outubro de 2014

DÍZIMO NA GRAÇA: Equívoco que insiste em prevalecer



INTRODUÇÃO

No mês  de Novembro de 2011, este blog completou um ano de atividade com temas pertinentes a prática do cristianismo e outras mensagens consideradas polêmicas por alguns leitores.

De minha parte, tenho me esforçado no ministério da Palavra
 para que a transmissão do entendimento dos Escritos Sagrados sejam o mais fidedigno possível e que possam abençoar a tantos quantos tem fome e sede de justiça, principalmente os que amam a Cristo e querem cumprir os seus mandamentos (João 14. 21).

Provavelmente o tema desta postagem venha a ser o mais polêmico e ao mesmo tempo o mais esclarecedor de todos que os leitores deste blog tiveram oportunidade de participar, pois será um divisor de águas, no sentido de se entender de uma vez por todas a falta de base bíblica neotestamentária para introdução de dízimos na maioria das igrejas evangélicas; posto que, essa forma de arrecadação teve validade somente na antiga aliança, quando na observância e condução da Lei mosaica  ao povo judeu pelos levitas e sacerdotes que serviam no templo.


MINHA   EXPERIÊNCIA

Nos primeiros anos de minha caminhada cristã, observando a atitude de alguns pastores quando ministravam a necessidade de ofertas por parte da congregação, os quais citavam o capítulo 3 do Profeta Malaquias para pressionar a cobrança de dízimos,  e também analisando o comportamento de alguns cristãos na prática de "pagar dízimos",  os quais pareciam comprar sua salvação por meio de prestações que correspondesse a 10% de seus salários. Fazendo desse comportamento  uma espécie de "cala boca" em Deus, pois a partir desses pagamentos mensais e infindáveis, não precisariam preocupar-se tanto com o amor ao próximo, nem tão pouco com a verdadeira santificação, mas somente com suas aparências exteriores e ensinamentos religiosos de homens.

Outros irmãos, de uma linha evangélica menos farisaica, faziam uso da seguinte expressão:
"Temos  que devolver os 10% de Deus, pois do contrário seremos considerados ladrões e consequentemente perderemos nossa salvação se morrermos nesta condição".
Caso a morte não ocorresse na vida dos cristãos "inadimplentes", os mesmos estariam debaixo da maldição da lei, ou seja, ficariam a mercê dos devoradores de Malaquias 3. 8-11, conforme pronunciamento de pastores radicais e defensores de dízimos veterotestamentário.

A partir de então, passei a estudar o Novo Testamento por completo e minuciosamente; visto que, aquela forma de provocar terror em alguns cristãos e promover farisaísmo em outros, era no mínimo estranha e não compatível com o Evangelho da Graça. Sem contar com o absurdo de se colocar pessoas para exercerem funções de lideranças no Corpo de Cristo pelo simples fato de terem salários mais altos e outros irmãos com menores salários, serem excluídos do rol de obreiros, mesmo com chamado eclesiástico ou até ministerial; isto, por uma questão meramente financeira ou quando não, por fazer parte da parentela da liderança eclesiástica.

Confesso que, mesmo não encontrando em todo Novo Testamento respaldo bíblico para o dízimo, guardei esse entendimento no coração por alguns anos; pois na época, se isso viesse a tona seria considerado um sacrilégio à igreja e digno de maldição por parte do clero evangélico; o que me fez ponderar e continuar dizimando por mais algum tempo, mesmo sem concordar com o dito terrorismo já relatado acima. E assim ponderei, contornando aquela situação com a seguinte conclusão para aquela época:
A igreja precisaria de recursos, mesmo que fosse fazendo uso da antiga aliança; e se, o uso dos referidos dízimos não fizessem bem a igreja, mal também não poderiam fazer.

Mas, para a minha decepção aquela base de arrecadação por "imposto compulsório" (dízimo) estava alicerçado sobre uma mentira, consciente ou inconscientemente, o qual levou alguns líderes de denominações a acumularem riquezas, conforme tema já postado anteriormente em:

Não obstante, algumas igrejas terem enriquecido financeiramente, espiritualmente se empobrecem a cada dia; e é por isso, que a "verdade e as mentiras" sobre esse tema (dízimo) tem grande relevância nos últimos dias da Igreja de Cristo. Portanto, exorto em amor a todos os pastores de igrejas que amam suas ovelhas e querem ser fiéis as verdades do
Evangelho de Cristo, que retornem ao primeiro Amor, como por exemplo:
Ensinem à igreja a praticar ofertas voluntárias, como se fazia na igreja primitiva, conforme doutrinamento do Apóstolo Paulo a toda Igreja gentílica.

CADA UM CONTRIBUA SEGUNDO TIVER PROPOSTO NO CORAÇÃO, NÃO COM TRISTEZA OU POR NECESSIDADE; PORQUE DEUS AMA A QUEM DÁ COM ALEGRIA
2ª Coríntios  9. 7

Se pelo menos uma vida for liberta dessa heresia que aprisiona mentes e corações, provavelmente introduzida pelos ditos "pais da igreja"
na antiga noiva de Roma e que passou despercebidos
pelos chamados "reformadores", já terá valido a pena a
existência deste espaço.

Mas, caso existam Sete Mil que não se dobraram  a Baal
e que também não querem servir a Mamom
para adorar as riquezas, posso afirmar que a
glória da segunda casa será maior do que a primeira
 e que este blog permanecerá até o
Dia do Arrebatamento.

Segue-se o mais completo estudo sobre a verdadeira  forma de
contribuição financeira para a igreja do Novo Testamento.

Paz seja com todos!
JC de Araújo Jorge

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

A IGREJA QUE COBRA DÍZIMO PODE PERTENCER A DEUS? Parte 2




A cobrança do dízimo no cristianismo é um jugo que tem causado sofrimento e angústia para muitos cristãos, e até tem impedido que muitas pessoas se integrem à Igreja.

Muitos, ao crerem no Evangelho, não se aliam às igrejas por causa do dízimo, isto é, por não sentirem espiritualidade na sua cobrança; enquanto outros se desintegram das igrejas por não resistirem tal carga nos seus ombros.
Esse jugo tem feito com que muitos cristãos enfraqueçam na fé; pois quando alguém encontra impossibilidade de apurar os 10% do que ganha para poder contribuir em forma de dízimo, o tal é reputado, pelos pregadores de dízimos, como ladrão e amaldiçoado.

Pois ganhando pouco e procurando saldar seus compromissos para manter sua honestidade social e sua integridade espiritual, nem sempre consegue levar aos seus líderes os 10%, mesmo sentindo no coração grande desejo de contribuir.

 Impossibilitado de levar esse valor, deseja levar o que pode, mas é impedido pelo pregador legalista que diz que 10% deve ser o mínimo, e que seria injusto levar menos, apontando para a Ordenança da Lei do Antigo Pacto mencionada em Malaquias 3.8-10, para dizer que o tal é ladrão e amaldiçoado.

Então este cristão acaba não levando nada; e quando vai orar, aquela acusação do pregador soa injustamente nos seus ouvidos: “Você é ladrão e amaldiçoado”, desanimado na fé e julgando-se sem condição de servir a Deus, acaba se desintegrando da Igreja.

Porém, tais pregadores, com certeza, vão prestar contas com Deus pelo prejuízo espiritual que têm causado à vida desses cristãos, pois nesse sentido, o apóstolo Paulo expressamente declara:
“Aquele que destruir o templo de Deus que sois vós, Deus o destruirá”
 (1ª Co 3.17).


Portanto, pregadores de dízimos, não destruam por causa do dinheiro aqueles por quem Cristo morreu.
Temos acima um real exemplo do pobre que vive oprimido por não conseguir apurar 10% do seu salário (o dízimo) para cumprir a exigência de seus respectivos líderes.


Pois é natural que a contribuição cristã, ordenada em forma de dízimo, causa opressão aos pobres. E aí, é quando essa indevida cobrança ameaça o cumprimento das profecias de libertação da opressão da Lei, como:


 1º) “Porque tu quebraste o jugo que pesava sobre ele, a vara que lhe feria os ombros e o cetro do seu opressor, como no dia dos midianitas”
 (Isaías 9.4).
2º) “O Espírito do Senhor Jeová está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos e a abertura de prisão aos presos” 
(Isaías 61.1).
3º) “Por causa da opressão dos pobres e do gemido dos necessitados, me levantarei agora, diz o Senhor; porei em salvo aquele para quem eles assopram”
 (Salmos 12.5).
         4º) “mas julgará com justiça os pobres”
 (Isaías 11.4).
5º) “então, ao Senhor trarão ofertas em justiça” 
(Malaquias 3.3).

Se os cobradores de dízimos procurassem amar um pouco mais a igreja de Deus, certamente não agiriam com ameaças de maldição, mas abençoariam a igreja ao contribuir com qualquer percentual.

Deixariam de operar pelo Ministério da Letra, chamado também de Ministério da Condenação, e operariam pelo Ministério do Espírito, que dá vida e paz aos que com um coração puro aceitam a Graça de Cristo para remição dos seus pecados, e agora, dentro de suas possibilidades, querem contribuir, levando à obra de Deus com alegria e propósito de coração, o que podem ajuntar, conforme a orientação do apóstolo Paulo:

“o que puder ajuntar, conforme sua prosperidade” (1ª Co 16.2). E ainda:
“Porque, se há prontidão de vontade, será aceita segundo o que qualquer tem, e não segundo o que não tem” (2ª Co 8.12).
Os legalistas do dízimo, que não conhecem totalmente a verdade do Evangelho e a integridade da Graça de Cristo, preferem dizer que aquele que dá menos de 10% é ladrão e amaldiçoado.

Confiam mais no Ministério da Letra do que no Ministério do Espírito.

Mas, veja o que está escrito:
 “O qual nos fez também capazes de ser ministros de um Novo Testamento, não da letra, mas do Espírito; porque a letra mata e o Espírito vivifica” (2ª Co 3.6)


Paz Seja com todos!
JC de Araújo Jorge

terça-feira, 15 de julho de 2014

REFORMA PROTESTANTE: Orgulho acadêmico ou engodo teológico ?



PENSO QUE A QUESTÃO TEOLÓGICA É MAIS ANTIGA E COM RAÍZES PREOCUPANTES.

POR EXEMPLO:
A VIRGEM DE ROMA FUNDADA POR PAULO, AO SER CORROMPIDA POR CONSTANTINO, 
INICIOU SEU PROCESSO DE SEDUÇÃO PELOS DITOS
 "PAIS DA IGREJA"
ATÉ ATINGIR SUA MATURIDADE DE GRANDE PROSTITUTA CATÓLICA.

A REFORMA PROTESTANTE 
TÃO PROPAGADA PELA TEOLOGIA ACADÊMICA, 
É UM EQUÍVOCO E NADA TEM HAVER CONOSCO, 
A NÃO SER PELO FATO DE MARTINHO LUTERO TENTAR REFORMAR A REFERIDA PROSTITUTA, SEM CONTUDO OBTER  ÊXITO ALGUM.

NÃO OBSTANTE, PELA CONQUISTA DA IGREJA LUTERANA, 
TAMBÉM TIVEMOS CONDIÇÕES DE RESISTIR PARALELAMENTE AS IMPOSIÇÕES DA IGREJA DOMINANTE. 

CONTUDO, A NOSSA ORIGEM NÃO É DE UMA PRETENSA 
REFORMA DA PROSTITUTA ROMANA, 
PORQUANTO SOMOS ORIUNDOS DA IGREJA PRIMITIVA 
DOUTRINADA PELOS APÓSTOLOS,
 SENDO O AP. PAULO 
O DISCIPULADOR DA IGREJA GENTÍLICA E POR CONSEGUINTE, O
 PRINCIPAL SISTEMATIZADOR DO NOVO TESTAMENTO.

CONCLUO MINHA OPINIÃO AFIRMANDO QUE, 
NÃO PRECISAMOS DE FILOSOFIAS DE
 "PAIS DA IGREJA", 
NEM DE "REFORMADORES DE PROSTITUTA", 
 MUITO MENOS DE UMA NOVA REFORMA
 POR TEÓLOGOS DITOS RENOMADOS; 
MAS SIM, 
DE NOS ARREPENDERMOS URGENTEMENTE 
PARA VOLTARMOS A SIMPLICIDADE 
DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO 
E AS 
PRÁTICAS DO PRIMEIRO AMOR.


Paz seja com todos,
JC de Araújo Jorge

terça-feira, 24 de junho de 2014

JESUS X SATANÁS: Em o Suposto Diálogo no Deserto



A imagem acima não significa de forma alguma que o diabo é páreo para o Cristo
 glorificado, o qual recebeu todo poder nos céus e na terra, 
mas somente tenta representar o confronto do Jesus 
100% homem que abriu mão de sua glória em 
substituição ao primeiro Adão, vencendo o
 pecado em nosso lugar e pagando 
preço da nossa condenação 
eterna.


INTRODUÇÃO

Após ter sido batizado por João Batista no rio Jordão, Jesus cheio do Espírito Santo foi guiado pelo mesmo Espírito ao deserto para ser tentado, a fim de ser aprovado para Sua grande Missão de Salvador da humanidade decaída.

Para ver postagem completa, acesse o link:

TENTAÇÃO NO ESPÍRITO 
Coração - Emoção - Bondade... 

Testificando que Jesus vencera a primeira tentação no corpo e a segunda na alma, 
o Diabo planejou a terceira e grande tentação no espírito, como um golpe de "mestre".

"Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos reinos do mundo 
e a glória deles e lhe disse: 
Tudo isto te darei se, prostrado me adorares".



OPINIÃO DO AUTOR
Creio sinceramente que Jesus não poderia ficar tentado por nenhum reino deste mundo, nem  tão pouco pela glória deles; pois de onde viera junto do Pai era infinitamente mais glorioso. Porém, o astuto tentador apelou para a bondade, a misericórdia e o amor de Jesus
para colocar seu plano diabólico em ação.
Foi mostrado pelo Diabo com a permissão de Deus, todas as nações e seus governantes, assim como seus impérios: militares, políticos e econômicos, ou seja, o domínio deste mundo onde o príncipe é Satanás.


ATENÇÃO
O diálogo a seguir é apenas uma ficção e tem por objetivo
 trazer uma melhor compreensão da terceira tentação de Jesus no deserto, já que a real veracidade dos fatos, só poderemos saber quando  estivermos face a face com o Mestre.


SUPOSTO DIÁLOGO ENTRE SATANÁS E JESUS
"Eu Satanás, que tenho livre acesso nas mentes e  nos corações dos homens que governam nações e também dos que tem o poder econômico, faço com que os mesmos criem: 
Guerras - Miséria - Fome - Violência - Injustiça - Ganância - Corrupção - Estupros - Pedofilia  e  Morte.
Nesta ocasião quero propor a Ti um acordo definitivo e irrevogável diante do Todo-Poderoso.Acordo este, pelo qual proporcionará que Tu não sofras mais com nenhuma das mazelas citadas por mim, as quais tenho imposto aos seres humanos com o objetivo de dominar alguns e subjugar a tantos outros.

Já que, aquele primeiro Adão que o Seu Pai colocou no Jardim do Éden com o objetivo de povoar a terra e governa-la, não foi páreo para mim, pois o mesmo estava ligado de forma apaixonante àquela mulher (Eva) que eu a enganei com certa facilidade. Haja vista eu  ter  cortado  o  bem  pela  raiz antes que o primeiro homem (Adão) iniciasse sua descendência no 
Éden e formasse na Terra um  governo de Justiça. 

Mas percebe-se que Tu não és como aquele Adão, que pela sua queda me 
entregou a autoridade e a glória desses reinos, e eu a dou a quem quiser. Portanto, nesta oportunidade peço a sua atenção para confessar-te que, no mais íntimo dos meus sentimentos,
 tenho uma certa admiração por Ti.
E para provar que não sou tão mau assim, apenas não fui bem compreendido por seu Pai, o Todo Poderoso, aproveito a ocasião para devolver a Ti o reino deste mundo, a fim de que Tu entres nas mentes e corações corrompidos por mim; e desta forma tenhas o controle da humanidade, preenchendo seus corações e mentes com a Sua justiça para que possas governar
este mundo como no início planejado por Seu Pai. 
Contudo, somente te pedirei que realize o meu 
"sonho de consumo mais profundo",
 que é receber sua admiração. Por isso te peço que, em troca de tudo que
 estou te oferecendo, eu receba uma uma única coisa de Ti: 
Que fique ajoelhado diante de mim e me adore como uma divindade. 
(Síndrome de Lúcifer)

 A RESPOSTA DE JESUS SERIA

"Certamente, oh! Satanás eu não sofreria mais com o sofrimento da humanidade,
 enquanto tu se indignaria
 muito por não poder mais fazer o mal aos seres humanos. 
Mas isso seria provisório e não definitivo, porquanto inevitavelmente chegaria 
o Dia do Juízo Final e Eu não poderia ser o Cordeiro Imaculado a ser sacrificado
 na Cruz do Calvário pelos pecados da humanidade, 
pois Eu teria cometido um único pecado: 
'O de me prostrar a ti e te adorar'.
Portanto, não existe nenhuma possibilidade de acordo entre Mim e ti, 
pois tu és trevas e Eu sou Luz."
AQUI ENCERRA-SE O
 SUPOSTO DIÁLOGO ENTRE SATANÁS E JESUS

Então Jesus ordenou:

Retira-te Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus, adorarás, e só a Ele darás culto.
Com isto, o deixou o diabo, e eis que vieram anjos e o serviram.
Mateus 4. 1-11
Marcos 1. 12-13
Lucas 4. 1-1



Paz seja com todos!
JC de Araújo Jorge

domingo, 15 de junho de 2014

DÍZIMO: Legalismo religioso que esfria o amor ao próximo



Muitos defendem a prática do dízimo no cristianismo, afirmando erroneamente que o dízimo não é uma cobrança (não é um pagamento obrigatório), mas sim uma contribuição voluntária.
Mas isto não é verdade. O dízimo não seria uma cobrança, se não fosse acompanhado de influência espiritualmente legalista; mas esta não é a realidade de sua prática, pois se tratando de dízimo, já é, obviamente, prefixado 10% e cobrado sob o rigor da Lei.

Quem convive no meio evangélico sabe disto. Eu, por exemplo, ao longo dos anos que sirvo a Deus, venho acompanhando a atitude de algumas lideranças religiosas em relação à prática do dízimo, e presenciando constantes pressões que são feitas em relação a essa cobrança, as quais têm, na verdade, avaliada as qualidades espirituais dos seus fiéis pelo pagamento de dízimo.

Ao invés de ensinarem o povo a amar a obra de Deus, ou seja, a contribuir inspirado pelo amor, acham mais fácil e confortável (para si mesmos) ensinarem o povo a ter medo das ordenanças do Antigo Pacto, sob ameaça da maldição da Lei, levando o povo a contribuir para sentir o alívio de um peso obrigatório (para o resgate de uma dívida para com Deus), rejeitando assim o que foi estabelecido pelo Espírito da Graça.
Se os cobradores de dízimos procurassem amar um pouco mais a igreja de Deus, certamente não agiriam com ameaças de maldição, mas abençoariam a igreja ao contribuir com qualquer percentual.

Deixariam de operar pelo Ministério da Letra, chamado também de Ministério da Condenação, e operariam pelo Ministério do Espírito, que dá vida e paz aos que com um coração puro aceitam a Graça de Cristo para remissão dos seus pecados, e agora, dentro de suas possibilidades, querem contribuir, levando à obra de Deus com alegria e propósito de coração, o que podem ajuntar, conforme a orientação do apóstolo Paulo:

“o que puder ajuntar, conforme sua prosperidade”
 (1ª Co 16. 2). 
E ainda:
“Porque, se há prontidão de vontade, será aceita segundo o que qualquer tem, e não segundo o que não tem”
 (2ª Co 8. 12).
Os legalistas do dízimo, que não conhecem totalmente a verdade do Evangelho e a integridade da Graça de Cristo, preferem dizer que aquele que dá menos de 10% é ladrão e amaldiçoado.

Confiam mais no Ministério da Letra do que no Ministério do Espírito.

Mas, veja o que está escrito: 
“O qual nos fez também capazes de ser ministros de um Novo Testamento, não da letra, mas do Espírito; porque a letra mata e o Espírito vivifica”
 (2ª Co 3. 6).

Paz seja com todos!
JC de Araújo Jorge

quinta-feira, 12 de junho de 2014

FUTEBOL: Idolatria nacional disfarçada de esporte

Um dos templos da maior religião do Brasil 
e seus fiéis alucinados.



Em minha opinião o futebol é muito mais que uma paixão ao esporte, visto que pode ser considerada a maior religião do Brasil, onde os ídolos não são de barro nem de materiais semelhantes, e sim de carne e osso.

O inimigo de forma sutil e perniciosa tem anestesiado a necessidade dos brasileiros de  conhecerem as verdades espirituais (Boas Novas), direcionando-os de forma apaixonante a adorarem seus clubes (religião) e ídolos de futebol de sua preferência, 
fazendo com que os seguidores desta grande religião vivam sem noção da realidade da existência humana, como se não existisse o pecado, a justiça e o juízo, ou seja, a Vida Eterna, 
a qual depende de andarmos na Luz do Evangelho de Cristo e não na cegueira do futebol, patrocinado por aquele (Satanás) que quer povoar o inferno. 

Portanto, exorto a todos que se desvencilhem de todo embaraço deste mundo que 
quer nos desviar do alvo, que é Cristo Jesus.
O Caminho, a Verdade e a Vida.

Peço a atenção de todos os cristãos e até de dirigentes evangélicos que nasceram de novo,
 para considerar o fato de sermos novas criaturas, eis que as coisas velhas já passaram e que tudo se fez novo.
Portanto, não percam mais tempo com esse engano que somente pode promover satisfação para a carne (eu), sem contudo trazer nenhuma edificação ao espírito. 

As vezes, tenta-se  justificar-se pela covardia de agradar a maioria para manter-se bem inserido no contexto social (politicamente correto) e desta forma não ter que sofrer perseguição dos demais.

 Afirmo que, esse procedimento de concordância com os que se encontram nas trevas espirituais, não condiz com o caráter de um verdadeiro cristão, que pela covardia de alguns que não querem contrariar a maioria, acabam incorrendo no pecado de omissão para fazerem parte desta grande "religião", que é o futebol para os brasileiros.




ENGANANDO E SENDO ENGANADO

Aos cristãos amantes do futebol, exorto-vos que também se liberte de todo embaraço deste mundo que quer nos desviar do alvo, que é a Salvação Eterna em Cristo Jesus.

Entretanto, por sermos Sal e Luz neste mundo, somos também entregues (perseguidos) a ele como ovelha muda ao matadouro; portanto não devemos compactuar com nenhum tipo de engodo satânico, mas pelo contrário, precisamos testemunhar com o nosso proceder e reafirmar com base nas Boas Novas do Evangelho de Cristo que, o vazio que há no coração do homem só pode ser preenchido com a Verdade, a qual conduz ao Caminho e por fim, a Vida eterna.


PREPARA-TE 
JESUS ESTÁ VOLTANDO!

Paz seja com todos,
JC de Araújo Jorge

terça-feira, 10 de junho de 2014

O MAGNÍFICO ENCONTRO: Cristo glorificado com Pedro quebrantado.




Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael, que era de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e mais dois discípulos.
Disse-lhe Simão Pedro: Vou pescar. Disseram-lhe os outros: 
Também nós vamos contigo...
João  21.  2 - 14


Desiludido  com a crucificação do seu Senhor e consigo mesmo, só o que aparentemente restou a Simão, foi retornar a sua antiga vida de pescador.
Provavelmente, Simão Pedro tinha desacreditado de seu primeiro chamado, que era: seguir Jesus para ser transformado por ELE em  pescador de homens; e também, o de edificar (liderar) a Igreja de Cristo, onde as portas do inferno não poderiam prevalecer contra Ela.

Acredito que Simão precisava sentir-se perdoado daquele sentimento misto de infidelidade e covardia que trazia em seu coração, após ter negado o seu Senhor.
O que ele não sabia é que, no estado de fragilidade em que encontrava-se e vazio de si mesmo, era a condição ideal para que fosse realmente convertido; e dessa forma, pudesse também ajudar aos seus irmãos, que assim como ele, precisavam igualmente de conversão.

É fato que o perdão do Senhor Jesus é concedido por inteiro a cada um de nós, mas Simão precisava perdoar a si mesmo por cada vez que foi infiel ao seu mestre na noite que O negara por três vezes.  Pois, além da vergonha de ter se acovardado diante do perigo, ele também encontrava-se confuso, a ponto de pensar que nunca tinha verdadeiramente amado o seu Senhor.

Portanto, ao ser encontrado por Cristo na praia e interrogado por Ele, Pedro não sabia que a cada resposta a pergunta do mestre, ocorria uma espécie de cura em sua alma, como um bálsamo que restaurava suas emoções e ao mesmo tempo liberava cura em seu coração, no sentido de perdoar-se a si mesmo e também sentir-se completamente perdoado e amado pelo seu Senhor e mestre, para então poder entender a confirmação do seu chamado apostólico para Igreja de Cristo.  

No tocante a chamada ministerial de Pedro, ela ocorria de forma respectiva e simultânea a sua restauração, e com três características ou missão a ele confiada:

DEPOIS DE TEREM COMIDO, PERGUNTOU JESUS A SIMÃO PEDRO: 
SIMÃO, FILHO DE JOÃO, AMAS-ME MAIS DO QUE ESTES OUTROS? 
ELE RESPONDEU: SIM, SENHOR, TU SABES QUE TE AMO. 
ELE LHE DISSE: APASCENTA OS MEUS CORDEIROS.
TORNOU A PERGUNTAR-LHE PELA SEGUNDA VEZ: 
SIMÃO, FILHO DE JOÃO, TU ME AMAS? 
ELE LHE RESPONDEU: SIM, SENHOR, TU SABES QUE TE AMO. 
DISSE-LHE JESUS: PASTOREIA AS MINHAS OVELHAS.
PELA TERCEIRA VEZ JESUS LHE PERGUNTOU: 
SIMÃO, FILHO DE JOÃO, TU ME AMAS? 
PEDRO ENTRISTECEU-SE POR ELE TER DITO, PELA TERCEIRA VEZ: 
TU ME AMAS? ELE RESPONDEU-LHE: 
SENHOR, TU SABES QUE EU TE AMO. 
JESUS LHE DISSE: APASCENTA AS MINHAS OVELHAS.
JOÃO 21. 15 - 17


MISSÃO   
APASCENTA OS MEUS CORDEIROS

Seria liderar os seus irmãos apóstolos, orientando e confirmando cada um deles ao ministério.


MISSÃO    
PASTOREIA AS MINHAS OVELHAS

Seria a missão de iniciar a edificação da Igreja Primitiva, não só com os quase três mil batizados no Dia de Pentecostes, como também pastorear (alimentar) ovelhas de outro aprisco (gentílica); assim como foi feito com o centurião Cornélio.


MISSÃO   
APASCENTA AS MINHAS OVELHAS

Significa levar orientação escrita (epístola) não só aos cristãos de Pontos,  da Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia; mas também a todos nós servos de Cristo, que de alguma forma somos apascentados (orientados) pela cartas de Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo.




TESTEMUNHO
Conheço um homem que há dezesseis anos encontrava-se de joelhos glorificando em oração devocional ao Senhor Jesus. Como era de costume levantar-se logo após a oração e abrir a Palavra (Bíblia) de forma aleatória, na intenção de receber orientação para sua alma e alimento para o seu espírito. E, ele assim, o fez.
Naquela manhã as palavras de adoração que saíam de sua boca fluíam de forma especial; entretanto, muito mais especial foi a abertura da Bíblia em Mateus 16. 18...; haja vista, aqueles versículos tornaram-se audíveis e penetrante, ecoando em todo o ser daquele homem. 
Impressionado com tal experiência sobrenatural, ficou maravilhado com o que seus olhos viram:
Diante dele estava o Senhor Jesus numa dimensão espiritual, pois os seus pés não tocavam o chão.

Foi impressionante aquela visão; porém, muito mais impactante foram as palavras que antecederam a mesma, pois a voz que falara era do próprio Senhor Jesus.

Este homem não se conteve em pé, quebrantado e em lágrimas, prostrou-se sobre seus joelhos ao soar daquelas palavras que vinham de uma voz inigualável:  
Voz doce e suave, cheia de amor, de perdão e misericórdia; e eram as mesmas Palavras que Jesus dissera a Pedro em Mt 16. 18: 
"TAMBÉM EU TE DIGO: QUE TU ÉS PEDRO..." 

E o que dá testemunho acima, é o mesmo que vos escreve; pois também naquele dia, recebeu de YESHUA (Jesus) o seu CHAMADO. 

Paz  Seja  Com Todos!

Discípulo de Cristo
JC de Araújo Jorge

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...