terça-feira, 10 de setembro de 2013

A IGREJA QUE COBRA DÍZIMO PODE PERTENCER A DEUS? Parte 1




Alguns ministros religiosos, ao aceitarem falsos princípios, afastam-se da realidade do Evangelho e passam a valorizar mais seus dogmas de doutrina do que a própria Palavra de Deus.
E Deus, então, para coibir tal heresia dentro de Sua Igreja, trata de corrigi-los.


Alguns defensores do dízimo têm me feito a seguinte pergunta: “muitas das igrejas que cobram dízimo têm sido reconhecidas pelo Espírito Santo (segundo a Sua operação no seu interior), como igrejas de Deus, juntamente com seus obreiros; poderia, então, uma obra de maneira errada ser praticada por uma Igreja de Deus?

Como você explica isto?”.
Então eu, em resposta a estes, posso afirmar, pela correta interpretação que recebi da parte de Deus (pelo Espírito Santo que me foi dado), que, sem dúvida e isento de hipocrisia, também reconheço que muitas das igrejas que cobram dízimo são igrejas de Deus, e inclusive seus ministros; porém, isto não significa que tais ministros não estejam errando nesta área!

Quando Deus repreende Seus obreiros, é exatamente pelo fato de existir erro dentro de Sua Igreja.
As sete igrejas da Ásia, as quais Jesus enviou cartas através do apóstolo João, também eram igrejas de Deus, e inclusive seus ministros, porém, cinco delas receberam fortes repreensões da parte de Jesus por algumas das suas obras não terem sido achadas corretas diante de Deus.

E as igrejas, cujas cartas continham repreensões da parte de Jesus, foram advertidas para que seus ministros se corrigissem dos seus erros e permanecessem em pé diante de Deus.

Observemos a carta à Igreja de Éfeso:

Apocalipse 2.  1 - 7
1 Escreve ao anjo da igreja que está em Éfeso: isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, e anda no meio dos sete castiçais de ouro:
2 Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos.
3 E sofreste, e tens paciência, e trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste.
4 Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.
5 Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.
6 Tens, porém, isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.
7 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus.


         É claro que o erro da Igreja de Éfeso não tinha nada a ver com o dízimo; até porque sabiam, de primeira mão, que não deveriam cobrar dízimo; mas, o que podemos observar é que era uma Igreja de Deus e seu ministro também; tanto que todas as suas obras estavam corretas diante de Deus, com exceção de uma.

E foi por esta única obra que não estava agradando a Deus, que Jesus estava tomando providência contra o seu ministro (o anjo da Igreja), para livrar o seu povo de uma queda espiritual.
Quanto ao erro da cobrança do dízimo nas igrejas de hoje, nota-se que nestes últimos tempos Deus tem tomado providências para corrigir seus ministros que praticam essa indevida cobrança.


O DÍZIMO NÃO É UMA COBRANÇA?

Muitos defendem a prática do dízimo no cristianismo, afirmando erroneamente que o dízimo não é uma cobrança (não é um pagamento obrigatório), mas sim uma contribuição voluntária.

Mas isto não é verdade. O dízimo não seria uma cobrança, se não fosse acompanhado de influência espiritualmente legalista; mas esta não é a realidade de sua prática, pois se tratando de dízimo, já é, obviamente, prefixado 10% e cobrado sob o rigor da Lei.

Quem convive no meio evangélico sabe disto. Eu, por exemplo, ao longo dos 28 anos que sirvo a Deus, venho acompanhando a atitude de algumas lideranças religiosas em relação à prática do dízimo, e presenciando constantes pressões que são feitas em relação a essa cobrança, as quais têm, na verdade, avaliada as qualidades espirituais dos seus fiéis pelo pagamento de dízimo.


Ao invés de ensinarem o povo a amar a obra de Deus, ou seja, a contribuir inspirado pelo amor, acham mais fácil e confortável (para si mesmos) ensinarem o povo a ter medo das ordenanças do Antigo Pacto, sob ameaça da maldição da Lei, levando o povo a contribuir para sentir o alívio de um peso obrigatório (para o resgate de uma dívida para com Deus), rejeitando assim o que foi estabelecido pelo Espírito da Graça.

A verdade é que, a maioria das igrejas fecha as portas de seu convívio espiritual para aqueles que não derem no mínimo 10% de suas rendas.
Para confirmação de tudo isto, observe o que nos últimos tempos estão ensinando em relação ao cristão que não pode pagar o dízimo, ou que por fidelidade ao Espírito da Graça não for dizimista:

1º: Está roubando a Deus.

2º: É amaldiçoado.

3º: Não pode estar em comunhão com o povo de Deus.


Diante de tudo isso, muitos ainda têm a coragem de dizer que isto não é uma cobrança. A verdade é que, nas entrelinhas, a mensagem da pregação do dízimo é esta: “Não é obrigatório, mas espontâneo, porque você tem livre escolha: dar o dízimo, ou viver em maldição”.
Conclusão: o dízimo é, com certeza, cobrado pelo rigor da Lei, mas aplicado no cristianismo sob o disfarce de contribuição voluntária. 


     Paz seja com todos!

JC de Araújo Jorge

20 comentários:

  1. Amado do Senhor!

    Quero parabenizá-lo pelo excelente serviço que vem prestando a todos os que consciente ou inconscientemente negligenciam o que o EVANGELHO nos ensina: Contribuir voluntariamente com alegria!!!
    Me alegro demais em compartilhar do seu ministério e chamado. Me sinto honrada com o título que recebi do meu Senhor e Deus:
    AUXILIADORA IDÔNEA
    Amo você em Cristo Jesus!

    ResponderExcluir
  2. Olá irmão, arrumei um tempinho para visualizar alguns blogs, e o seu é o númeru 1 da minha lista.
    Mensagens ousadas e descompromissadas com instituiçóes, lideranças e etc... faz a diferença na blogosfera.
    O seu blog para nós que apreciamos uma boa leitura com conteúdo, tornou-se referência para o cristão que não tem "rabo preso" e que ama a Verdade.
    Não consigo fazer jejum do blog "Discípulo de Cristo". Gosto muito da maneira que expõe o entendimento que o Espírito Santo lhe dá.
    Linguagem simples, acessível e muitíssimo espiritual.
    Parabéns por se esforçar em manter a IGREJA DE CRISTO (nós),
    Pura,
    Santa e
    Imaculada!

    Fique na paz, querido irmão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmã Fernanda,

      Muito obrigado por suas palavras incentivadoras; contudo, toda glória seja dada Aquele que é digno de honra, majestade e louvor, a saber:
      Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

      Excluir
  3. A paz do Senhor,

    Por motivos óbvios não posso me identificar: Sou pr. e congrego numa denominação centenária que infelizmente pratica os ensinamentos dos hipócritas e fariseus.
    Através da leitura constante dos seus posts (estudos) sobre o dízimo, graças a Deus e também a você, (vaso do Senhor) tive o pleno conhecimento da Verdade, ou seja, o dízimo não é para a Igreja de Cristo !
    Estou numa situação delicada... Como continuar liderando após receber tamanha revelação, falta-me coragem para assumir tal posicionamento.
    Preciso de orientação, intrepidez e coragem do "DISCÍPULO DE CRISTO" e também de muita oração. Como o irmão deve saber, todo aquele que assume que o dízimo é um erro, é taxado de desviado e na maioria das vezes de endemoninhado.
    Como enfrentar os meus líderes?
    E a membresia, como reagirão?
    Quero fazer a vontade do Senhor, porém o meu sustendo vem deste ministério.
    Tenho esposa e filhos e sinceramente, peço encarecidamente o seu auxílio, me dê uma palavra, um conselho, uma orientação, Em Nome de Jesus!

    Um forte abraço, homem de coragem. Te admiro e louvo a Deus por sua vida e ministério.

    Pr. e leitor assíduo.
    PETRÓPOLIS - RJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão e leitor fiel,

      Falar sobre o dízimo levítico, também envolve dinheiro (Mamon), que é um assunto altamente espiritual. Contudo, tentarei dar-lhe minha orientação colocando-me no seu lugar, e assim demonstrar como eu reagiria a tal situação:

      1. Eu não daria tanta ênfase na propaganda do dízimo, ou seja, na hora do ofertório, não exporia o texto descontextualizado de Malaquias 3; mas sempre que possível, recorreria ao versículo de 2ª Cor 9. 7.

      2. Por estar debaixo de liderança, agiria como funcionário de uma empresa que tem que acatar as ordens de seus superiores, e pediria sempre sabedoria a Deus para não criar contendas ou rebelião.

      3. Administraria o tempo vago para me especializar em alguma área profissionalizante.

      4. Com os 3 primeiros itens acima cobertos de oração individual na comunhão com o Espírito Santo, vigiando em todo tempo, pediria ao Senhor para que Ele abrisse uma porta para o meu sustento e da minha família.

      5. Continuaria a ser um Evangelista independente de templos feitos por mãos humanas, mas se fosse da vontade do Senhor, iniciaria um trabalho no próprio lar. Agora, não mais preso a tradições humanas, mas livre para ensinar a Verdade em sua plenitude!


      PARA MEDITAR:

      O menino Davi, quando teve que enfrentar o gigante Golias, primeiro usou a Palavra de Deus, junto com a sabedoria de reservar 5 pedrinhas; todavia, com apenas 1 o derrubou, mas para matá-lo e obter a vitória sobre o gigante filisteu, precisou da espada como ferramenta para arrancar a cabeça do gigante.

      Espero que, de alguma forma tenha ajudado o irmão em seu anseio de cumprir o chamado de viver na Verdade, a qual nos conduzirá ao Caminho, e por fim, a vida eterna em Cristo Jesus!

      Paz Seja Contigo,
      JC de Araújo Jorge
      Discípulo de Cristo

      Excluir
    2. Amado irmão, como é maravilhoso saber que rios de água viva flui do seu interior e que o Espírito Santo é a fonte de inspiração para edificação do Corpo de Cristo.
      Sábia foi a orientação dada ao Pr.
      Suas palavras demonstram que o Senhor Jesus reina em seu coração, pois em momento algum
      da sua resposta, você irmão negligenciou o que a Palavra nos ensina. Gostei muito do trecho que citou ao pastor, para que ele agisse sem rebelião e contenda.

      O título "Discípulo de Cristo" verdadeiramente faz jus a sua postura, seriedade e compromisso com o Evangelho de Cristo.

      Que o Rei da Glória te abençoe e te guarde!

      Excluir
  4. Obrigado, sei que não vai ser fácil, mas seguirei suas orientações.

    ResponderExcluir
  5. Presbítero Carlos Rosa22 de fevereiro de 2014 22:02

    Prezado Pr. JC de Araújo, tenho 64 anos e me sinto confuso com tanta informação... Eu, que até hoje convivi com esta prática, não sei como proceder diante do seu relato, que após
    ler atentamente, constato que todo o conteúdo é respaldado na Palavra.
    Como pude ser enganado este tempo todo, achando que o dízimo repreenderia o devorador!
    Confesso que estive sinceramente enganado, acreditando que estava agradando a Deus. Mas nunca é tarde para aprender e praticar o que é certo!

    A paz do Senhor, seu irmão em Cristo.
    Presb. Carlos Rosa
    São João do Meriti - RJ

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Discípulo amado, quanto tempo hein!
    O motivo do meu sumiço é simples: esqueci a mimha senha... e só hpje depois de váriad tentativas, cpnsegui recuperar a minha conta.

    Mas vamos ao qie interessa, você sabia que aqui na região dos lagos seu blog é conhecido e bastante comentado.
    SERÁ QUE O IRMÂO CONSEGUE DESCOBRIR O MOTIVO?
    Resppsta: ESTUDO SOBRE O DÍZIMO.
    As Igrejas da região estão apavoradas, e fiquei sabendo que muito de nossos irmãos estão se libertando "do equívoco que insiste em prevalecer".
    Como leitora e admiradora quero deixar minha palavra de incentivo e também encorajá-lo a continuar sendo instrumento nas mãos do Todp Poderoso.

    Postagem esclarecedora e excepcional...
    Precisamos muito do amado irmão, suas publicações cumpre na íntegra a descrição do seu
    Blog.

    Fique na paz!

    ResponderExcluir
  7. A Paz irmão, voltei pra levar seu post e inaugurar meu blog com este artigo que me chamou atenção pelo conteúdo:
    IRREFUTÁVEL!!!

    ResponderExcluir
  8. A Paz irmão, voltei para pedir sua permissão para levar seu post, e assim inaugurar meu blog com este artigo que considero como já disse anteriormente:
    IRREFUTÁVEL!!!

    Parabéns, pelo conteúdo, que muitos se libertem através desta mensagem.

    ResponderExcluir
  9. A paz do Senhor. Não sou dependente do dizimo e nem refém dos que o defendem ou o acusam.

    Pela palavra divina e na sua aplicação há contrastes que não condizem com a afirmação:
    :

    Disse o Senhor Jesus Cristo:

    MATEUS 5:17 Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.
    18 Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.


    ((((((((19 Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.))))))


    20 Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.

    "Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário." (I Timóteo 5 : 18)

    Se não há mais dízimos no NT, como explico as palavras do Senhor Jesus Cristo em Mateus 5:17...?

    Como vou pagar o boi que debulha ou seja, o obreiro na sua labuta?

    Deus dá a semente ao que semeia. Como vou sustentar a obra evangelística missionária se não tenho recursos financeiros na casa do Senhor?

    Claro que a semente figurada é a palavra do Senhor, mas também aquele que aplica os bens que o Senhor lhe deu em prol da seara dele.

    Como iremos pagar aluguéis, IPTU'S, água luz e os demais impostos se não há mantimento (algo que mantenha a obra do Senhor)?

    Se não tem dízimo como explico que dos dez leprosos (lepra figura da plenitude do pecado) curados pelo Senhor Jesus Cristo só um voltou para agradecer? ou seja só 10% voltou. Para sustentar a igreja do Senhor, por figura é 10% pois a sua igreja em uma mera analogia são poucos os escolhidos nela.

    Porque, Dele e para Ele são todas as coisas. Se o meu salário que provém do Senhor, pois Dele e para Ele são TODAS AS COISAS, não for utilizado uma pequena parte para MANTIMENTO, MANUTENÇÃO DA SUA OBRA, como ela sobreviveria se não tivesse uma quantia determinada, disciplinada POR ELE???

    O que é óbvio não se precisa falar e o dízimo é óbvio que abr rogá-lo é modificar o que o Senhor Jesus Cristo disse em Mateus 5 a partir do versículo 17.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz Seja Contigo,

      Sobre a NÃO validade do dízimo no Novo Testamento, acesse:
      O que escolher? O sacrifício da Lei ou a obediência a Cristo?

      Irmão Luis Dorneles,

      São muitos os seus questionamentos na questão do dízimo levítico, contudo se o irmão ler de forma sistemática o estudo sobre o dízimo levítico, muitas das suas dúvidas poderão ser sanadas; se esse for realmente o seu objetivo final, no sentido de conhecer a verdade em sua plenitude, principalmente no entendimento da antiga aliança para os judeus, em contraste a nova e superior aliança para os povos gentios que aceitaram o sacrifício de Jesus na cruz e se constituíram em Igreja de Cristo aqui na Terra.

      NA MEDIDA DO POSSÍVEL, PASSAREI A RESPONDER ALGUMAS DE SUAS PERGUNTAS.

      1. Se não há mais dízimos no NT, como explico as palavras do Senhor Jesus Cristo em Mateus 5:17...?
      R: Acesse o link Discernindo as Escrituras e o poder de Deus...

      2. Como vou pagar o boi que debulha ou seja, o obreiro na sua labuta?
      R: COM OFERTAS DE JUSTIÇA, SEM AVAREZA, COM ALEGRIA, NÃO IMPOSTA PELA TRADIÇÃO ( dízimo ) DE HOMENS, MAS PROPOSTO PELO PRÓPRIO CORAÇÃO ( 2ª Coríntios 9. 7 ).

      3. Deus dá a semente ao que semeia. Como vou sustentar a obra evangelística missionária se não tenho recursos financeiros na casa do Senhor?
      R: DA MESMA FORMA QUE O APÓSTOLO PAULO ( discipulador dos gentios ) SUSTENTAVA AS OBRAS MISSIONÁRIAS.

      4. Como iremos pagar aluguéis, IPTU'S, água luz e os demais impostos se não há mantimento (algo que mantenha a obra do Senhor)?
      R: OS PASTORES TERÃO QUE PASTOREAR DE FATO, COM JUSTIÇA, AMOR E FÉ, E ASSIM RECEBERÁ OFERTAS VOLUNTÁRIAS COMO OCORRIA COM AS IGREJAS PASTOREADAS POR PAULO E SEUS FIÉIS OBREIROS...

      O que é óbvio não se precisa falar e o dízimo é óbvio que abr rogá-lo é modificar o que o Senhor Jesus Cristo disse em Mateus 5 a partir do versículo 17.
      R: O QUE É ÓBVIO É QUE JESUS TEVE QUE CUMPRIR A LEI EM NOSSO LUGAR, A QUAL ( a lei) NUNCA APERFEIÇOOU COISA ALGUMA, ENTRETANTO INSISTIR NA TRADIÇÃO DO DÍZIMO É MUITO CONVENIENTE PARA ESTABILIDADE FINANCEIRA DE QUEM QUER TER O CONTROLE ( Malaquias 3. 10 ) SOBRE A RECEITA ( dinheiro ) DO POVO CRISTÃO, SEM QUE NO ENTANTO, NECESSITE DE APASCENTAR O REBANHO DE CRISTO DE FORMA ESPIRITUAL E NÃO RELIGIOSA.

      JC de Araújo Jorge
      Discípulo de Cristo

      Excluir
  10. O dízimo é do Senhor, e a ele devemos entregar. Deus abençoe esse ministério aqui. Que enriquece os nossos corações. Fica na paz do Senhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada irmã,

      Suas palavras de bençãos sobre o ministério de falar a verdade neste blog, também enriquece o meu coração. Entretanto, se faz necessário que a irmã entenda que o dízimo levítico foi instituído para o povo judeu na velha aliança, onde uma das 12 tribos não recebeu herança na divisão da terra de Canaã (nação de Israel), a saber: a tribo de Levi, a qual se constituiu em levitas e sacerdotes para dedicar-se ao serviço religioso do templo, bem como para observância da Lei mosaica. Portanto, essa mesma tribo que não tinha terras agricultáveis e pecuária, recebiam 10% dos recursos das terras que as outras 11 tribos produziam.

      O Senhor Jesus viveu no final da velha aliança e não deixou nenhum mandamento sobre o dízimo para os seus discípulos, somente exortou escribas e fariseus hipócritas (vt) que deveriam cumprir o dízimo da lei de Moisés, sem no entanto, sonegar a parte da viúva, dos órfãos e estrangeiros. Portanto, não estamos na vigência da lei e nem somos escribas e fariseus hipócritas de Mateus 23. 23, ou seja, esse texto citado por Jesus na antiga aliança, tem sido usado indevidamente por cobradores de dízimo levítico, os quais usam o mesmo de forma maliciosa na nova aliança para dominar (Malaquias 3. 10) e confundir (Mateus 23.23) a congregação dos cristãos neotestamentário, com o objetivo de obter o controle das finanças da Igreja de Cristo e viver das regalias que esses recursos podem proporcionar.

      P.S. Irmã Nal, já que este ministério enriquece seu coração, sugiro que leia de forma sistemática o estudo sobre o dízimo, e assim a irmã poderá enriquecer também seus conhecimentos sobre as doutrinas do Novo Testamento, bem como as orientações do discipulador dos gentios ( Ap. Paulo) para a Igreja de Cristo.

      Paz Seja Contigo,
      JC de Araújo Jorge


      Excluir
  11. Estou retribuindo sua visita em meu blog, sou o administrador do blog ministério inegociável, estarei seguindo seu trabalho, que é de suma importância os assuntos aqui abordados, se desejar faço-lhe o convite de seguir meu blog, que o Eterno te abençoe!!!
    http://juniosilvinodesouza.blogspot.com.br/2014/02/resumo-historico-do-espiritismo.html

    ResponderExcluir

As refutações serão devidamente respondidas!
Não serão publicados comentários com os seguintes conteúdos:
- Palavrões;
- Conteúdos Ofensivos;
- Comentários Anônimos;

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...