quinta-feira, 17 de abril de 2014

JUDAS ISCARIOTES versus SIMÃO PEDRO e a ORAÇÃO DE JESUS...





Simão, Simão, eis que satanás vos reclamou para vos peneirar como trigo!  
Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça;
Tu, pois, quando vos converteres, fortalece os teus irmãos.

Ele, porém, respondeu:
Senhor, estou pronto a ir contigo, tanto para a prisão como para a morte.

Mas Jesus lhe disse:
Afirmo-te, Pedro, que, hoje, três vezes negarás que me conheces, antes que o galo cante.
Lucas  22.  31 - 34


ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE JUDAS ISCARIOTES:

Judas ao contrário de Pedro, não valorizava
 as palavras de Jesus
.
Judas convivia com Cristo, mas o seu senhor era mesmo o dinheiro; portanto, 
ninguém pode amar e servir a dois senhores; 
assim também, Judas não o pôde.

Os apóstolos de Cristo ainda não eram convertidos, porém ouviam as palavras de vida eterna não somente com as mentes, mas as guardavam em seus corações (espíritos) e também contemplavam os milagres que Jesus operava na presença deles.

Certamente Judas só ouvia com os ouvidos carnais (mente) e não guardava no seu coração as palavras de vida eterna, as quais poderiam produzir fé em seu ser. 
Ao invés de contemplar os milagres do Senhor Jesus, ele cobiçava as doações feitas ao ministério terreno do mestre,  porquanto roubava parte das ofertas que ficavam sob a sua administração, pois ele era tesoureiro da obra de Cristo.

Provavelmente Judas ao perceber que a prisão de Jesus seria inevitável e supostamente o fim daquele ministério, planejou uma forma de obter seu último lucro. O que Judas jamais imaginaria, é que:  
"as portas do  inferno não podem prevalecer contra a Igreja de Cristo"
(Mt  16. 18b).

O mal que existia em Judas revelou-se gradualmente, até que 
"satanás entrou nele"
( João 13.  27) 
e ele traiu Jesus. 
(João 18. 3).

O amor de Judas pelo dinheiro era maior do que tudo, pois ele não hesitou em entregar Jesus as  autoridades para ser preso, pela recompensa de trinta moedas de prata.



ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE PEDRO:

Simão Pedro: homem intrépido,
mas de pequena fé.
Simão ainda não era convertido, assim como os demais apóstolos.
Tinha algumas características marcantes em sua personalidade.
Era muito emotivo, presunçoso, mas transparente.
Simão Pedro desconhecia a si mesmo, e jamais imaginou que pudesse negar o seu Mestre.

Creio que o motivo do Senhor Jesus orar por Pedro, foi para que a sua fé não desfalecesse ao ponto dele querer  suicidar-se,  motivado pela vergonha e tristeza de haver negado o seu Senhor.



A pequena fé de Simão adquirida durante o ministério terreno de Jesus, se deu através dos  ensinamentos do Mestre e também na contemplação das  maravilhas operadas pelo Messias.  


A oração intercessória de Jesus foi de suma importância para que a fé de Pedro não desfalecesse, após ele mesmo  ter concretizado o seu pecado e constatado o mesmo
 pela lembrança das palavras do Mestre, que disse: 
"Antes que o galo cante, tu me negaras por três vezes".    

Judas ao contrário de Pedro, não valorizou as palavras de Jesus, nem tampouco seus milagres, porquanto não alimentou  seu espírito humano durante  caminhada com Cristo; e, 
assim como Pedro, ele pudesse  também acrescentar um mínimo de fé em seu coração; 
para que com isso, alcançasse arrependimento e não remorso, ou seja, raiva de si mesmo. 
Como Judas Iscariotes não cultivou uma estrutura espiritual para levá-lo ao arrependimento, 
ele decidiu-se  pelo suicídio e consequentemente pela perdição eterna.


CONCLUSÃO:

Não creio que Judas tenha sido destinado a perdição, mas sim que ele tenha feito uso do seu livre arbítrio para alimentar a cobiça de seu coração, ao invés de encher-se das palavras de vida eterna.

O Senhor Jesus não precisaria ser traído para nos substituir na cruz, bastava somente morrer pelos nossos pecados. Todavia, Deus em Sua onisciência sabia que um dos doze trairia o Seu Filho; tornando-se com este ato, filho da perdição.

Portanto, ninguém é destinado a perdição nem a salvação, cabendo a cada um de nós a responsabilidade de nossas escolhas e a humildade de reconhecer que somos falhos e carentes da misericórdia de Deus e do amor de Jesus Cristo, Senhor e Salvador nosso!


"NINGUÉM TEM MAIOR AMOR DO QUE ESTE: 
DE DAR ALGUÉM A PRÓPRIA VIDA EM FAVOR DE SEUS AMIGOS."
JOÃO 15. 13


Paz  seja  com  todos,
JC de Araújo Jorge



2 comentários:

  1. Junior São Paulo20 de abril de 2014 00:46

    Impressionante o seu poder de explicar a Palavra com discernimento.
    Parabéns!

    ResponderExcluir

As refutações serão devidamente respondidas!
Não serão publicados comentários com os seguintes conteúdos:
- Palavrões;
- Conteúdos Ofensivos;
- Comentários Anônimos;

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...