sexta-feira, 23 de maio de 2014

MULHERES PASTORAS: Uma aberração neotestamentária!





O Apóstolo Paulo, discipulador dos gentios, no versículo 11 do capítulo 2 
da primeira carta a Timóteo, exorta as mulheres incultas 
por tradição e de pouco conhecimento 
das Boas Novas, a não fazerem perguntas na igreja durante o culto, 
mas que aprendessem em silêncio com toda submissão, 
e deixassem que suas dúvidas fossem tiradas pelo marido em sua própria casa, 
sendo ele mesmo (o marido) o sacerdote do lar.
A proibição do Apóstolo de não permitir que a mulher ensine e nem 
exerça autoridade de homem na igreja (governo pastoral) é categórica, 
pois segundo o Espírito Santo
 através de Paulo, a mulher não tem
 autoridade espiritual para 
tal cargo ministerial, 
conforme fundamentações a seguir: 


1ª FUNDAMENTAÇÃO ( I Timóteo 2. 11)
A mulher aprenda em silêncio, com toda a submissão.

2ª FUNDAMENTAÇÃO ( I Timóteo 2. 12)
E não permito que a mulher ensine, nem exerça autoridade de homem; esteja, porém em silêncio.

3ª  FUNDAMENTAÇÃO  ( I Timóteo 2. 13 )
Porque primeiro foi formado Adão e depois Eva.

4ª FUNDAMENTAÇÃO  ( I Timóteo 2. 14 ) 
E Adão não foi iludido (seduzido), mas a mulher, sendo enganada caiu em transgressão. 
(grifo e parêntese do autor do blog)

5ª FUNDAMENTAÇÃO  ( I Timóteo 2. 15 ) 
Todavia, será preservada (salva) através de sua missão de mãe se ela permanecer em fé, amor e santificação, com bom senso.
 (grifo e parêntese do autor do blog)



MODISMO  
Nos últimos dias percebe-se um crescente modismo no meio cristão, que se constitui numa espécie de "carona ministerial" de esposas de novos ministros do evangelho, as quais são ordenadas de forma automática quando na consagração de seus maridos ao Ministério Pastoral .
Isto só demonstra falta de conhecimento ou descaso bíblico daqueles 
que promovem esse tipo de "consagração conjunta."


FALTA DE ENTENDIMENTO
Gostaria de enfatizar que toda mulher tem seu valor, sendo essencial no Corpo de Cristo, haja vista a importância de suas orações intercessórias pela sua própria família e estendendo-se aos demais membros da comunidade cristã.
Todavia, é falta de entendimento dos escritos neotestamentário o querer  auto denominar-se "pastoras", pois quem as consagra ao ministério não tem permissão e
nem autoridade espiritual para tal ato, já que não se pode
 validar aquilo que a PALAVRA (N.T.)  desaprova.


SÍNDROME DE EVA 
 Existe uma tendência nas mulheres (feministas / insubmissas) de não aceitarem que seus maridos atuem como cabeça do casal; promovendo com isto, 
uma espécie de inversão de valores na autoridade familiar, 
proporcionando uma má criação dos filhos e consequente 
deformação no caráter cristão dos mesmos. 


CONCLUSÃO

Nos dias atuais parece estar "fora de moda" fazer tal comentário, visto que 
a mulher tem acesso a todo ensino e cultura, podendo exercer
 neste mundo qualquer função masculina,
 até mesmo presidir nações. 

Entretanto, na Igreja de Cristo, trata-se de Governo Espiritual e não humano.
O IDE de Jesus é para todos, porém o assunto em questão é
 Ensino e Governo na Igreja e não evangelismo pessoal.
Portanto, a continuação deste modernismo religioso: 
mulheres exercendo Governo na Igreja,
 é no mínimo prevaricar e desobedecer ao 
Espírito Santo 
e o que a Palavra nos ensina nas Boas Novas do Evangelho de Cristo.



Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas:
Ao vencedor dar-lhe-ei que se alimenta da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.

Apocalipse 2. 7  


 Paz seja com todos,
JC de Araújo Jorge

9 comentários:

  1. Então, por que Deus instituiu uma mulher como juíza do seu povo: Débora ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado irmão,

      O fato de Débora ter sido levantada como juíza em Israel, não trata-se de função sacerdotal, exercida por ela; até porque, no velho testamento só foi autorizado ao homem o sacerdócio levítico. Portanto, Débora exerceu uma função administrativa e não espiritual.
      Da mesma forma, pode-se ter juíza para julgar as leis de um determinado país; podendo também a mulher exercer cargo de presidente de empresa na esfera secular, como também presidir uma nação.
      Entretanto, ter a função de "pastora" na Igreja de Cristo para governar ou mesmo ensinar doutrinas, não tem autorização do Espírito Santo por meio do Apóstolo Paulo, o qual foi separado por Cristo para doutrinar a Sua Igreja.

      A QUESTÃO É:
      A Lei do velho testamento nunca aperfeiçoou coisa alguma e nem trouxe salvação pela sua observância; portanto, a Antiga Aliança é a SOMBRA do que deveria vir. E a Nova Aliança, pelo Evangelho de Cristo e os ensinamentos dos Apóstolos, sendo Paulo nosso discipulador, é a LUZ para doutrinar a Igreja de Cristo.

      É preciso decidir se nós queremos ser dirigidos pela sombra da Lei da Antiga Aliança ou pela luz da Nova Aliança conquistada por Cristo.

      PENSE NISSO...

      Paz Seja Contigo,
      JC de Araújo Jorge

      Excluir
  2. E Débora, mulher profetisa, mulher de Lapidote, julgava a Israel naquele tempo. Juízes 4:4
    Julgava a Israel. Exortava, ensinava as ordens de Deus.
    Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei. Romanos 3:31
    A Lei não permanece então ?
    Mas esta multidão, que não sabe a lei, é maldita. João 7:49
    ???
    Jesus também não disse que Ele não veio para anular a Lei, e sim cumprí-la ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria que houvesse uma melhor identificação de sua parte, pois somente pelo pseudônimo "Sal da Terra Brasil", fica um pouco impessoal para tratar de assuntos de tamanha relevância.

      * Quanto a Débora profetizar, isso ocorria debaixo de uma palmeira, posto que nunca foi permitido na Velha Aliança que a mulher fizesse uso do Tabernáculo para assumir a função de sacerdotisa.

      * A Lei do Velho Testamento permanece, não para julgar os salvos da Nova Aliança, mas sim para condenar (no Dia do juízo) o restante da humanidade que não aceitam Jesus Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas.

      * Aquele que quer seguir a Lei, tem que cumpri-la em sua totalidade, pois se tropeçar em apenas um ponto da mesma, será considerado maldito.

      "De Cristo vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes".
      Gálatas 5. 4

      * Realmente o Senhor Jesus veio cumprir a Lei e também antecipou-se ao Dia do juízo, pagando a maldição da condenação da Lei que nos era proposta, pois não tínhamos como cumpri-la.

      Mais detalhes acesse o link abaixo:
      DISCERNINDO AS ESCRITURAS E O PODER DE DEUS...

      Paz Seja Contigo,
      JC de Araújo Jorge

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luís Erasto, devido a sua insistência em buscar justificativa no Velho Testamento para fortalecer a heresia do ministério pastoral feminino; desconsiderando com isso, as verdades das Boas Novas do Evangelho como única orientação doutrinária para a Igreja de Cristo, só me resta lamentar e excluir seu último comentário.
      Porquanto, as referências citadas, não se sustenta na Nova Aliança por não ter respaldo neotestamentário, pois baseia-se na sombra da Lei e na conveniência humana, sem contudo demonstrar o devido temor ao Espírito Santo, nem tão pouco a devida obediência ao Cabeça do Corpo, a saber:
      Cristo Jesus, o legítimo Senhor da Igreja.

      Excluir
  4. Acredito que este estudo é muito mais abrangente do que foi exposto aqui. Pra início de conversa, afirmo que mesmo o cargo de pastor como ofício, da maneira que é exercida nas igrejas protestantes já é anti-bíblico. O pastor na bíblia não tem nada a ver com o pastor que conhecemos. Dado isso, o parido pastoreio feminino evangélico é uma heresia dupla. Abc a todos

    ResponderExcluir

As refutações serão devidamente respondidas!
Não serão publicados comentários com os seguintes conteúdos:
- Palavrões;
- Conteúdos Ofensivos;
- Comentários Anônimos;

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...